Sergipe

30/04/2018 às 09h54

Homem mata esposa a tiros no bairro Inácio Barbosa

Redação Portal A8

Foto: 1º BPCom
Uma mulher identificada como Gilvânia da Cruz Santos de 45 anos foi morta com disparos de arma de fogo, na manhã deste domingo (29), no conjunto Jardim Esperança, no bairro Inácio Barbosa. O autor dos disparos foi identificado como Gilvan Ferreira de Andrade, 47 anos, ele foi preso após confessar à polícia que teria assassinado a esposa, com cerca de cinco disparos de arma de fogo.

Segundo informações do 1 º Batalhão de Polícia Militar, o corpo de Gilvânia foi encontrado no quintal da própria casa, onde estavam as duas filhas do casal, com idade de 14 e outra de 20 anos. A polícia prendeu o esposo da vítima em flagrante e apreendeu a arma de fogo que teria sido utilizada no crime, um revólver calibre 38, com quatro munições que estava em posse de um primo do autor, que alegou ter negociado com o mesmo a entrega do armamento e liberação das filhas do casal. O caso foi encaminhado à Delegacia Plantonista Sul e após levantamentos foi apurado que o mesmo já possui outras passagens pela polícia e trata-se de ex-presidiário com penas relacionadas a homicídios, dentre eles por crime de mando. 

As filhas não presenciaram o crime, mas segundo informações de familiares elas foram ameaçadas de morte por ele também.

O Portal A8SE entrou em contato com familiares, que explicaram que a traição, motivo pelo qual ele alega ter matado, seria coisa da cabeça dele. Eles afirmaram que ela teria saído, como de costume, para passear na quadra, quando ele viu um cara dando sinal e já foi arrastando ela para dentro de casa, quando disparou tiros nas costas dela. A família afirmou ainda que ele era usuário de drogas e já ameaçou matar toda a família, caso a mulher se separasse dele.

Feminicídio

Em 2015, a legislação incluiu o feminicídio como crime hediondo e apena prevista para o homicídio qualificado é de reclusão de 12 a 30 anos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um terço dos homicídios de mulheres no mundo são cometidos por seus companheiros.