Sergipe

09/03/2018 às 15h20

Ministério do Trabalho destina veículos e instrumentos musicais a associações de Socorro e Itabaiana

MPT/SE

O Ministério Público do Trabalho em Sergipe (MPT-SE) entregou na manhã desta sexta-feira, 09, à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Nossa Senhora do Socorro- Apae Socorro um veículo fiat Doblô e à Apae Itabaiana, instrumentos musicais. A destinação dos bens é fruto de um acordo entre o MPT-SE e a empresa Agrisul Agrícola.

Segundo o procurador do Trabalho Mário Luiz Vieira Cruz, o objetivo da destinação é fazer com que o recurso, fruto de uma atuação do Ministério Público, se reverta para aquela comunidade que tenha sido atingida ou prejudicada por uma atividade que a instituição atuou. ”O MPT-SE pretende fazer com que pelo menos os bens voltem para entidades da sociedade que atue em prol dessa própria sociedade, fazendo com que se mitigue o prejuízo daquele dano.”, explica.  

A Apae de Nossa Senhora do Socorro existe há 13 anos e atende atualmente 64 pessoas com deficiência. De acordo com a presidente da Apae Socorro, Anair Santos Viana de Jesus, o veículo será utilizado para locomoção dos beneficiários para a prática de esportes, bem como para tratamentos clínicos. “Existem atividades realizadas fora da instituição que não podíamos fazer, como: capoeira, futebol e caratê. Além da dificuldade de levar os meninos ao neurologista e ao fonoaudiólogo. ”, destaca Anair.

Já a Apae do município de Itabaiana que beneficia hoje 96 pessoas, recebeu diversos instrumentos musicais, dentre eles: bacurinha, surdo, microfone e caixa amplificada. Segundo a presidente da Apae Itabaiana, Ilenoi Costa Silva, com essa doação vai ser possível montar uma banda para que possam desenvolver as potencialidades musicais. “Eles são muito talentosos, nós percebemos pelo batuque e como eles agiam diante do som. A primeira apresentação com os instrumentos musicais vai ser no desfile de 7 de setembro deste ano.”, adianta.

A solenidade de entrega do veículo e dos instrumentos musicais foi acompanhada pelo procurador-chefe do MPT-SE, Emerson Albuquerque Resende, por beneficiários das Apaes de Itabaiana e Nossa Senhora do Socorro, bem como pela representante da empresa Agrisul, Nara Rebouças.

Para Mário Cruz, reverter bens para entidades como a Apae, instituições profissionalizantes e entidades públicas que atuam na proteção do cidadão trabalhador é fazer com que aqueles danos originais do processo sejam mitigados.


Fonte: MPT/SE