Sergipe

16/02/2018 às 10h42

Assistência e Defesa Civil montam estratégias de combate a crises durante período de chuva

Assessoria

Foto: Assessoria
Com foco na criação de estratégias para evitar e amenizar crises decorrentes do período de chuvas que já se aproxima, na tarde desta quinta-feira, 15, usuários referenciados no Centro de Referência e Assistência Social (Cras) Risoleta Neves participaram de mais uma reunião do Núcleo Comunitário da Defesa Civil (Nudec). Durante a ação intersetorial, líderes comunitários, moradores da região e representantes da administração puderam conversar e debater sobre os trabalhos desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Defesa Social e Cidadania (Semdec), através da Defesa Civil de Aracaju, na busca de soluções para reduzir os transtornos causados nas regiões de maior incidência de casos de desabamento, alagamento e desmoronamento de morros e encostas.

A coordenadora do Cras, Shauna Freire, explicou que a união entre a gestão e sociedade tem sido essencial. “Estamos em uma localidade de Aracaju que possui um relevo inclinado e muitos locais que podem sofrer por conta do grande volume pluviométrico. Esta parceria junto com o Cras, no sentido de tentar identificar as áreas e trabalhar com os habitantes, nos ajuda porque nos direciona a outros tipos de atenção. Enquanto Assistência, vemos a família de maneira multifacetada, com diversas formas de vulnerabilidade, e a forma de habitar é uma dessas pontas. A formação do Nudec nos ajuda a dar uma atenção mais focada a estas possíveis ocorrências  e atuar de forma mais objetiva e incisiva nestes territórios."

Segundo a representante da Defesa Civil, Rosemari Roiz, é preciso organização para minimizar os danos que eventualmente venham a acontecer. “Nós buscamos soluções que possam ser tomadas em conjunto, mas é a comunidade quem vai dizer o que é prioridade dentro de nosso plano de ação. A ideia é fazer com que ela mesma elenque quais são os principais pontos de maior dificuldade para que possamos achar uma solução a curto, médio e longo prazo”, salientou.

Residente no bairro Cidade Nova há mais de 30 anos, o professor aposentado Reginaldo Paz tem frequentado as reuniões desde o princípio e sabe a importância da parceria. “Na minha visão, esta gestão está fazendo um trabalho que realmente agrega à sociedade como um todo. Eu acredito que isto seja uma evolução, pois cada cidadão tem sua parcela de responsabilidade, já que o governo por si só não pode resolver tudo só. É necessária a colaboração e é fundamental esta integração nesta luta. Quanto mais integrado agirmos, mais fácil fica o trabalho”, pontuou.

Já a dona de casa Luciana Oliveira, afirma que seu papel enquanto líder comunitária tem sido o de alertar e engajar. “Eu chego e converso com as pessoas sobre o descarte de lixo, seja na porta de casa ou na rua. Falo também sobre ocupar lugares não recomendados e assim vamos. Se a comunidade não ajudar, fica difícil. Estamos em estado de alerta e sempre a postos para entrar em contato com a Defesa Civil e o Cras”, disse.


Fonte: Assessoria