Sergipe

18/09/2017 às 17h09

Aracaju é a terceira cesta básica mais cara no Nordeste

Com informações do BNB

A redução no preço da cesta básica não foi tão expressiva em Aracaju (-2,9%) quanto em outras capitais nordestinas como Salvador (-7,1%), Natal (-6,2%) e Recife (-5,8%). Em termos monetários, Aracaju (R$ 353,85) é a terceira cesta básica mais cara no Nordeste, maior inclusive que a cesta regional (R$ 330,39) e que a cesta da capital baiana (R$ 332,10).

Os consumidores aracajuanos também experimentaram leve decréscimo nos preços da cesta básica considerando o acumulado de 2017 (-0,3%). Dentre as capitais com maior aumento no preço da cesta básica estão Fortaleza (+4,7%), Maceió (+4,2%), Natal (+4,0%), João Pessoa (+1,0%) e Recife (+0,2%).

A leve redução no preço da cesta básica em Aracaju se deve, em parte, aos itens com as maiores retrações  verificadas no ano, como feijão (-31,8%) e da carne (-4,0%). Também na capital sergipana houve redução no preço do pão (-3,2%), que também teve redução no mês de agosto (-4,0%).

Nordeste

A cesta básica nordestina apresentou redução de preço em agosto (-4,3%), acompanhando tendência nacional. Contribuíram para a retração as quedas nos preços dos produtos: tomate (-15,7%), feijão (-15,2%) e açúcar, café e óleo (-5,4%). O decréscimo apontado no preço da cesta regional só foi mais significativo no Centro-Oeste (-26,7%).

Os números fazem parte de pesquisa realizada pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de pesquisas do Banco do Nordeste, com base  em dados do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese). Os dados estão disponíveis no endereço www.bnb.gov.br/diario-economico-2017.

Apesar da queda dos preços em agosto, a cesta nordestina é a única com variação positiva em 2017, com +1,4%. As demais regiões apresentaram declínio no custo da cesta básica este ano: Norte (-4,5%), Centro-Oeste (-8,0%), Sudeste (-3,6%), e Sul (-1,1%).

Avaliando os últimos doze meses, a variação da cesta básica do Nordeste (+5,4%) não é ultrapassada por nenhuma outra região: Centro-Oeste (+0,7%), Sul (+4,4%), Sudeste (+3,0%) e Norte (-1,4%).

Em termos monetários, a cesta nordestina (R$ 330,39) está abaixo da brasileira (R$ 371,66) e mais barata que a cesta do Sudeste (R$ 423,04) e do Sul (R$ 413,53).


Fonte: Com informações do BNB