Sergipe

05/09/2017 às 07h48

Terceira parcela do Mão Amiga Cana já está disponível para saque

Agência Sergipe de Notícias

Foto: ASN
Já está disponível para saque a terceira parcela do Programa Mão Amiga Cana. O montante correspondente ao pagamento dos 4.102 beneficiários do programa nesta edição foi creditado pelo Governo de Sergipe no último final de semana, totalizando R$ 779.380,00. Para fazer o saque, basta que o beneficiário compareça a uma das agências ou Pontos Banese, munido do seu Cartão Mão Amiga.

A informação foi passada nesta segunda-feira, 04, diretamente pelo vice-governador Belivaldo Chagas e pelo secretário de Estado da Inclusão Social, Zezinho Sobral aos trabalhadores que participaram dos seminários do programa nos municípios de Maruim, Rosário do Catete e São Cristóvão. "Além do benefício, o Mão Amiga proporciona conhecimento. A cada seminário, os produtores são orientados sobre o programa, dicas de plantio e cultivo, saúde, informações sobre programas sociais e muito mais. Estamos lado a lado com o produtor", afirmou o vice-governador Belivaldo Chagas.

"Mais que um benefício, o Mão Amiga vem para dar uma ajuda significativa para a família do agricultor no período da entressafra. Sem dúvida, muitos já pagaram uma conta de energia ou reforçou as compras do mês. É gratificante ver que podemos ajudar a promover e manter a dignidade do homem e da mulher do campo", disse o secretário de Inclusão, José Sobral.

A primeira parada dos seminários na semana foi em Maruim, onde o Mão Amiga possui 124 beneficiários, distribuídos pelos povoados São Vicente, Oiteiro, Fazenda das Pedras e Caititu. Na edição de 2017, os trabalhadores do corte da cana no município já receberam R$ 70.680,00 em três parcelas; e de 2010 a 2017, esse valor chegou a R$ 814.720,00. O benefício faz a diferença na vida da produtora Joana Silva, segundo ela conta. "Saquei meu dinheiro no sábado e aproveitei para fazer a feira do mês. Se não fosse o Mão Amiga não sei o que seria da minha família".

Já em Rosário do Catete, recebem o benefício 68 trabalhadores rurais. Nesta edição, os beneficiários dos povoados Siririzinho, Caraíbas e Tamandarí já receberam o total de R$ 38.760,00, nas três parcelas. Maria Celi é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rosário e afirma que, junto com o Bolsa Família, os programas socais complementam a renda familiar e que os seminários são importantes para a instrução desse público. "Os trabalhadores participam dos seminários com satisfação porque sabem que sairão instruídos para desenvolver um bom trabalho quando voltar para colheita e plantio. O Mão Amiga é um programa completo", avaliou.

São Cristóvão foi última cidade a receber o seminário nesta segunda. No município, são assistidos pelo programa 55 trabalhadores rurais dos povoados Cardoso, Colônia, São Paulo e assentamento Luxemburgo. Ao todo, eles já receberam R$ 31.350,00 nesta edição. "O Mão Amiga é muito importante quando a entressafra prejudica o trabalhador rural. Esse é um programa que representa o respeito e o carinho que o governo, a Seidh e todas as prefeituras têm pelos produtores. É gratificante ver a satisfação e a tranquilidade de cada um", pontuou Marcos Santana, prefeito do município.

Mão Amiga

Custeado com recursos do governo do Estado, através do Fundo de Combate à Pobreza (Funcep), o programa tem o limite legal de beneficiar 5.000 trabalhadores da cana e 5.000 da laranja, totalizando 10.000 trabalhadores ao ano.

Os agricultores recebem informações sobre outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da cana no município. A presença do trabalhador é fundamental, pois sua participação é pré-requisito para a manutenção do benefício no Programa.

 “A gente não pode deixar que as coisas fiquem apenas nas mãos do prefeito, pois não tem sido fácil governar num tempo difícil como esse. São cerca de cinco mil trabalhadores que estão sendo atendidos na região da cana, com uma ajuda de R$ 760,00 divididos em quatro parcelas, que com certeza  ajuda na composição do rendimento familiar que precisam de apoio nesse momento”, declarou Belivaldo Chagas.  

Para Jefferson de Santana, prefeito de Maruim, é incalculável as benfeitorias que o programa traz para a região. “Esse programa é muito importante para nossa região, especialmente, nos tempos de recessão, dificuldades de recursos e desemprego. É um dinheiro a mais que vem e já ajuda na economia do município e ameniza a situação dos trabalhadores”, ressaltou. 

Da mesma maneira observou o prefeito de Rosário do Catete, Etevilno Barreto Sobrinho. “É visível os benefícios que o Mão Amiga traz aos municípios, não tão somente aos trabalhadores. A economia do nosso município é beneficiada por esse recurso que gira também no município. A nossa expectativa é que ele possa ser ampliado  e assim, os trabalhadores possam melhorar  ainda mais a qualidade de vida”. 

Na opinião do prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana o maior sucesso do programa está na parceria do governo com as prefeituras e sindicatos. “Com esses recursos, essas pessoas não vão passar dificuldades. Nós não nos contentamos com o cadastro anterior. Nós ampliamos a quantidades de pessoas que eram assistidas. Fizemos várias reuniões e a expectativa é de que possamos aumentar ainda mais o número de beneficiados no próximo ano”. 

Josielma Gomes dos Santos, moradora do povoado Cardoso, em São Cristóvão é uma delas. Para a trabalhadora rural, o benefício trouxe um alento no momento difícil de desemprego que passa ela e o marido. “É uma ajuda importante, principalemente, para comprar comida e remédios", revelou.  

Beneficiados 

Em Maruim, o programa beneficia 124 agricultores distribuídos pelos povoados São Vicente, Fazenda Pedras, Oiteiro e Caititu. O investimento referente às duas primeiras parcelas de 2017 é de R$ 47.120,00. O investimento final previsto é de R$ 94.240,00. De 2015 a 2017, foram investidos R$ 253.320,00 beneficiando 394 agricultores. Desde 2010, no entanto, já foram investidos no Programa, em Maruim, R$ 791.160,00 e o número de beneficiários é de 1.103 agricultores.

Já em Rosário do Catete, o programa beneficia 68 agricultores dos povoados Siririzinho, Caraíbas e Tamandari. O investimento referente às duas primeiras parcelas de 2017 é de R$ 25.840,00. O investimento final previsto é de R$ 51.680,00. De 2015 a 2017, foram investidos R$ 132.240,00 beneficiando 208 agricultores. Desde 2010, já foram investidos no Programa Mão Amiga, em Rosário, R$ 372.400,00 e o número de beneficiários é de 524 agricultores.

Em São Cristóvão, o programa beneficia 55 agricultores dos povoados Cardoso, Colônia São Paulo e Assentamento Rosa Luxemburgo. O investimento referente às duas primeiras parcelas de 2017 é de R$ 20.900,00. O investimento final previsto para as quatro parcelas é de R$ 41.800,00. De 2015 a 2017, foram investidos R$ 71.820,00 beneficiando 122 agricultores. Desde 2010, já foram investidos no Programa Mão Amiga, em São Cristóvão, R$ 142.500,00 e o número de beneficiários é de 215 agricultores.


Fonte: Agência Sergipe de Notícias