Sergipe

09/10/2015 às 11h42

Operação Brasil Integrado resulta em 81 prisões em Sergipe

Redação Portal A8

Portal A8SE
A Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgou na manhã desta sexta-feira (12) o balanço da Operação Brasil Integrado, em Sergipe, realizado nos dias 7 e 8 de outubro. A Operação foi uma ação conjunta da Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, Rodoviária Federal e Guarda Municipal, que trabalharam na prevenção e combate, principalmente, de crimes de homicídio.

No período de atuação as polícias realizaram 2.478 abordagens a pessoas e 1.043 abordagens a veículo, que resultou na prisão de 81 pessoas, apreensão de dois adolescentes, cerca de 35 quilos de drogas, 22 armas de fogo, 60 munições e veículos, entre motos e carros.

Para o secretário de segurança pública, Mendonça Prado, o que deve ser destaco neste tipo de operação é o fato de todas as forças policiais estarem unidas no combate da criminalidade. “Todas as forças policiais, militar, civil, mas também com a participação da Guarda Municipal, da polícia federal e da PRF, num modelo que nós almejamos e queremos, que cada um cumpra sua parte, mas que um complemente o outro com tarefas distintas, o que é essencial para combater a violência no estado”, destacou.

O delegado geral, Everton Santos, também falou sobre as ações. “Várias operações específicas foram realizadas, pois ocorreram crimes que propiciaram operações conjuntas a exemplo da morte do sargento da polícia militar, da morte da jovem e a operação do departamento de homicídios na zona oeste”, relatou o delegado. Ele também informou que mais ações como esta devem continuar acontecendo. “Essas ações devem ocorrer não só a nível nacional, através do Brasil Mais Seguro, mas devem ocorrer semanalmente, porque o índice de violência exige que os órgãos sejam unidos. Essas operações devem desencadear tantas outras, pois de acordo com as prisões realizadas os indivíduos demostram quando ouvidos que fazem parte de um corpo maior do organismo criminoso”.

A reincidência das pessoas que cometem os crimes também foi um ponto destacado pelo secretário de segurança pública. “Nós procuramos verificar as manchas criminais e atuar mais fortemente, para nesses pontos a polícia fazer o combate. É necessário que todas as instituições vejam suas necessidades, por exemplo, há uma reincidência grande de crimes, o que mostra que a polícia está prendendo, são mais de 4.500 prisões este ano e a polícia se deparando sempre com os mesmos, ou seja, estão voltando rapidamente para o convívio social sem que cumpram uma pena exemplar. Então nem tudo é culpa da polícia, a toda uma sistemática que deve ser levada em consideração para se reduzir as taxas de violência do estado”, concluiu Mendonça Prado.

O comandante do policiamento do interior, tenente coronel, Eliziel Rodrigues, participou da operação e relatou que atuou com mais de 100 homens, em parceria com a Polícia Civil e a PRF, em vários municípios. “Conseguimos fazer bloqueios que tem objetivo de evitar a entrada de quadrilhas de banco e também conseguimos efetuar a prisão dos acusados de matar o sargento em Cristinápolis numa resposta rápida. Foi uma ação conjunta das polícias, inclusive da PRF que nos passou informações e viaturas para reforço. Durante a operação foram oito pontos de bloqueio além de operações em Tobias, onde o GATI apreendeu motos roubados, tivemos um período exitoso”, afirmou.

A participação da Polícia Rodoviária Federal foi feita através de bloqueios em municípios com maior índice de crimes de homicídio. “Estamos colaborando através de bloqueios nos municípios como Itabaiana, Socorro, Aracaju e São Cristóvão, que tem maior número de homicídios. Conhecemos bairros que desovam o tráfego de veículos e de pessoas, então colocamos patrulhamento nos perímetros urbanos, para tentar coibir qualquer ação ligada aos homicídios”, contou o inspetor Fontes, da PRF.

A Guarda Municipal de Aracaju também colaborou com a ação. “Atendendo ao convite participamos da operação e elaboramos um plano de emprego tático com efetivo extra com o grande proposito de atuar nos espaços públicos do município com ação de presencialidade, então ela intensificou no entorno dos mercados centrais, no mercado do Augusto Franco, nos terminais de integração e no mercado do Bugio. Durante esse patrulhamento preventivo foi possível realizar prisões em várias localidades, recuperamos infratores e recuperamos objetos. O maior objeto o é potencializar a ação de presencialidade nos espaços públicos dando uma efetiva segurança à população de Aracaju”, concluiu o coronel Enilson Aragão.