Sergipe

19/08/2015 às 14h58

Situação da UBS Madre Tereza de Calcutá é discutida no Ministério Público

Redação Portal A8

Foto: Samara Fagundes/ Portal A8SE

 

A situação da Unidade de Saúde Básica de Saúde Madre Tereza de Calcutá, localizada no Largo da Aparecida, bairro Jabutiana, foi discutida em audiência realizada na manhã desta quarta-feira (19), pela Promotoria dos Direitos à Saúde do Ministério Público Estadual. Na ocasião participaram representantes da Secretaria Municipal de Saúde, Associação de Moradores e do Conselho Regional de Enfermagem.

 

A denúncia feita por moradores da comunidade e profissionais da unidade de saúde, dão conta da situação precária na infraestrutura do posto, que piorou após uma enchente registrada no dia 24 de maio deste ano. “A gente já vinha sofrendo, mas com as chuvas tudo piorou, o telhado está caindo e as paredes estão cheias de infiltração”, declarou o presidente da Associação de Moradores, Jorge de Jesus, que destacou. “Eles começaram a fazer uma obra paliativa, mas alguns atendimentos estão sendo realizados no meio da obra, com o material caindo por cima do povo. E o serviço de dentista e ginecologista foi transferido para a unidade do Sol Nascente, que fica muito distante”, reclamou. 

 

A necessidade de uma obra geral também foi constatada pelo representante do Coren, que cobrou a ação da Prefeitura do município e se comprometeu de enviar um relatório atualizado da visita realizada na unidade de Saúde. 

 

Diante das constatações de falta de estrutura da UBS, o promotor de justiça, Antônio Forte de Souza Junior, fixou prazo de 10 dias para que o Município de Aracaju encaminhe o cronograma de execução das obras emergenciais a serem executas na unidade Madre Tereza de Calcutá. Ainda de acordo com o promotor, neste mesmo prazo, informará a Secretaria Municipal de Saúde sobre a obra completa, inclusive com a construção de nova sede da Unidade Básica. 

 

O Ministério Público também determinou que os atendimentos devem ser suspensos durante as obras paliativas e que o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) da localidade, deve ceder duas salas para atendimento. 

 

Representantes da Prefeitura informaram que um carro será destinado para levar gestantes, idosos e crianças, aos locais de atendimento, durante o período de reforma. Além disso, o município informou que em 30 dias entregará a reforma, caso não chova, e que nos próximos meses estará iniciando a obra total do posto de saúde. 

 

Uma nova audiência foi marcada para o dia 21 de setembro, no Ministério Público Estadual.