Sergipe

11/08/2015 às 10h06

Servidores fazem Caminhada da Indignação em direção a Assembleia Legislativa

Redação Portal A8

Foto: Samara Fagundes / Portal A8SE

 

Na praça Camerino, em Aracaju, servidores fizeram a concentração do ato público unificado em defesa dos direitos dos servidores públicos do estado, nesta terça-feira (11). No geral, eles demonstram indignação quanto a postura do governo por não apresentar propostas para reajuste salarial dos servidores da educação. No caso dessa categoria, segundo o diretor do Sintese, Roberto Silva, há três anos não há revisão salarial.

 

“Esse movimento unificado dos servidores tem o objetivo de pedir ao governo, respeito do servidor, com uma política de valorização salarial”, explica o diretor do Sintese.  Segundo o diretor, o governo usa a lei de responsabilidade fiscal como desculpa para não valorizar, por isso a necessidade da unificação da luta.

 

Os servidores da educação estão em greve há mais de um mês, já os professores paralisam nesta terça (11), para participar do movimento. Além desses servidores, outras categorias participam do ato, que é unificado, como policiais civis que estão em greve desde o dia o último dia 03 de julho, servidores do Detran, condutores e enfermeiros do SAMU.

 

Os condutores do SAMU, estavam presentes no ato junto aos demais sindicatos para demonstrar a indignação do servidor ao atual governo. “Há um atual descaso do governo na questão salarial, quanto ao Plano de Cargos e Vencimentos (PCCV), essas são algumas reivindicações dos sindicatos”, acrescenta o vice-presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância de Sergipe, Robério Batista.

 

“Os técnicos de enfermagem e os condutores do SAMU estão se somando a este movimento para mostrar ao governo do estado que não estamos insatisfeitos com essa situação” reforça Robério.  

A caminhada dos servidores, chamada de “Caminhada da Indignação” seguiu a avenida Barão de Maruim, depois rua Itabaianinha, rua Tomar do Geru e retorna pela Ivo do Prado em direção à Assembleia Legislativa, onde eles querem que os deputados façam essa intermediação para fortalecer as reinvindicações dos servidores.

 

Segundo o assessor de comunicação do Governo do Estado, Sales Neto a manifestação é natural, e prefere não se manifestar sobre o assunto, até o momento.