Sergipe

10/08/2015 às 09h09

Alunos realizam protesto por melhorias em escola estadual de Itaporanga

Redação Portal A8

Alunos do Colégio Estadual Felisberto Freira irão realizar uma manifestação em frente a unidade educacional na tarde desta segunda-feira (10). Eles cobram melhorias na escola, localizada no município de em Itaporanga D´ajuda.
Os alunos relatam que a escola está em péssimas condições em vários aspectos. A principal reivindicação do grupo, no momento, é quanto a sugerira que paira por todos os cômodos da escola. 


“A diretora da escola já limpou todas as salas por mais de uma vez. Isso é uma situação humilhante. A escola parece um verdadeiro lixão, o banheiro é uma imundice, sem condições de uso. Uma situação alarmante”, afirma o representante do Conselho Estudantil, João Pedro Santos.


Eles cobram também a contratação de novos profissionais. Segundo os alunos, o cargo de merendeira está inativo e apenas uma pessoa trabalha na função de vigilante somente no turno da tarde. “Dizem que existe uma merendeira na escola, mas ninguém nunca viu ela por aqui. O vigia só fica a tarde na escola, pela manhã e no turno da noite os alunos ficam à mercê da violência”, reclama.


Os estudantes ainda pedem a reforma da quadra do colégio que há tempos está interditada por apresentar estrutura precária. “Ninguém mais utiliza, porque só falta cair os pedaços”, diz João Paulo.


Outra exigência dos alunos é quanto as salas de informática e laboratórios de química e física. Segundo eles, os computadores nunca foram usados nas aulas e os laboratórios estão fechados por falta de aparelhagem. 


De acordo o representante do Conselho Estudantil, até o momento, os alunos só realizaram a primeira avaliação. O motivo é a ausência da máquina de xerox. “Os professores estão tirando dinheiro do próprio bolso para imprimir as provas. Desde que a máquina de xerox foi roubada durante um assalto à escola, o governo nunca repôs o aparelho. Quem acaba prejudicado somos nós”, conta.


Os alunos se declaram a favor da greve dos servidores. Eles lutam para que o governo ouça as exigências de todos os sindicatos do serviço público. “Queremos dizer que estamos com os professores e com os servidores. Todos têm direito de lutar por melhorias. O que deve acontecer é que o governo ouça as reivindicações dos trabalhadores, que merecem ser tratados com mais respeito”, conclui João Pedro.