Sergipe

04/08/2015 às 09h58

Paralisação unificada reúne sindicatos em frente à Alese

Redação Portal A8

 Servidores públicos do estado fazem ato público em frente à Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (04). No geral as categorias reivindicam a reposição salarial que não acontece há 30 meses, e o parcelamento dos salários, mas cada categoria apresenta as dificuldades e condições de trabalho.

 

Servidores de outros municípios sergipanos fizeram parte do ato público em frente à Assembleia Legislativa e caravanas do SAMU e da saúde compareceram para fortalecer a paralisação.  Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Área da Saúde (Sintasa), Augusto Couto eles estão reivindicando além da reposição salarial, e o desde o ano passado não há acordo salarial.

 

O assistente de enfermagem Sidney Santos Figueiredo, veio de Estância para participar do ato público. Ele relata que na unidade de saúde em que trabalha, o laboratório não está funcionando, por causa da greve, o motivo é a falta de pagamento, os servidores estão há três meses sem salários, e sem alimentação adequada e de qualidade.

 

Segundo Diego Araújo, presidente do Sindicato dos Servidores dos Trabalhadores dos Serviços Públicos de Sergipe (Sintrase) a categoria está em greve há 41 dias e não há nenhuma negociação. A reunião desta segunda-feira (03) foi apenas para mostrar a situação de crise do governo.

 

O Sindicato dos Auditores Técnicos de Tributos do Estado também esteve presente no ato, e segundo o diretor administrativo, Abílio Castanheira, a soma de 30 meses sem reposição salarial dos servidores, somam cerca de 20% de redução dos salários. Estavam presentes ainda no ato público, os peritos da criminalística, que aderiram também aderiram a greve.

 

A paralisação implica no atendimento precário e parcelado dos serviços públicos, na assembleia os servidores buscam pressionar o governo para a tomada de decisões, caso contrário as paralisações terão continuidade.