Sergipe

12/05/2014 às 10h04

PC prende estelionatário acusado de aplicar golpes em políticos do Brasil

Redação Portal A8

O Departamento de Defraudações e Combate à Pirataria (DDCP) da Polícia Civil prendeu na tarde da última quinta-feira, na Barra dos Coqueiros, um homem acusado de aplicar golpes em vereadores e deputados estaduais e federais, senadores e até em um ministro do Governo Federal. Matheus Conceição Gomes da Silva, 23 anos, agia por telefone se fazendo passar um político conhecido da vítima com o intuito de conseguir dinheiro.

 

Segundo a delegada Maria Pureza, o estelionatário ligou para vereadores e deputados de Sergipe, se fazendo passar por um político conhecido e disse que estava sem dinheiro naquele momento e pedia para que os “colegas” depositassem quantias que variavam entre R$ 2 mil a R$ 2.500 na conta de um assessor. Os parlamentares sergipanos desconfiaram e acionaram a polícia.

 

No entanto, autoridades políticas do cenário nacional não tiveram a mesma sorte e caíram no golpe do estelionatário alagoano, que morava em Aracaju e recentemente se mudou para a Barra dos Coqueiros. Ele ligou para um ministro de Estado se fazendo passar por um conhecido. O acusado teria alegado problemas no cartão corporativo e pediu auxílio do ministro para que fosse depositado certa quantia na conta de um assessor, o que foi feito.

 

Pureza relata que as investigações para capturá-lo tiveram início em abril deste ano, porém, a Polícia do Senado Federal está na cola do acusado há muito mais tempo. “Policiais do Senado estiveram em Sergipe no ano passado no intuito de prendê-lo. Na época, eles trouxeram dados de contas correntes em que as vítimas realizaram depósitos ludibriadas pelo acusado, mas não pudemos agir porque as contas apresentadas eram de outros Estados”, disse.

 

Perfil

 

Para a delegada, Matheus Conceição tem um perfil de um típico estelionatário. “É bastante convincente e inteligente. Para que sua história não fosse descoberta pelas vítimas ele realizava um grande levantamento do círculo de relacionamentos dos parlamentares e também se informava sobre alguns hábitos dele. Com isso, iniciar uma conversa por telefone era muito mais fácil”, destacou.

Outra façanha do estelionatário era para conseguir dados de contas correntes emprestados com pessoas conhecidas. “Ele pedia os números das contas e informava as pessoas que o dinheiro seria depositado por um parente”. Matheus foi indiciado por estelionato e está preso à disposição da Justiça.