Sergipe

09/05/2014 às 19h16

Trio envolvido em crimes morre após confronto com a polícia

O trio planejava realizar mais um assalto em uma rodovia que corta o estado de Sergipe e por conta disso foi deflagrada a operação que culminou com a troca de tiros.

Redação Portal A8

No início da madrugada desta sexta-feira (9), policiais do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) trocaram tiros com três criminosos no trecho da BR-101 que corta o município de Itaporanga D'Ajuda. No confronto o trio acabou sendo baleado e após darem entrada no Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE) acabaram vindo a óbito.

Foto: SSP/SE

 
Os paulistas Leandro Barbosa Farabello, conhecido como "Galeguinho ou Paulista", e Carlos Ariel da Rocha Santos, vulgo "Paulista ou Gordinho", e o sergipano Luiz Carlos Moreira Gonzaga, o "Vibonati" já vinham sendo investigados pelo Cope há cerca de três meses e tinham envolvimento com os crimes de tráfico de drogas, roubos de cargas e veículos e homicídios.

 

Com eles foram encontradas duas pistolas, sendo uma calibre .765, que foi roubada de um delegado de São Paulo, e uma .40 com numeração raspada, além de munições, cerca de meio quilo de maconha prensada e um veículo Gol, cor cinza, que foi roubado no dia 19 de fevereiro deste ano no bairro Cirurgia, em Aracaju.

Foto: SSP/SE

 
"Na tarde de ontem flagramos o Luiz Carlos, através de filmagem, repassando para um taxista de Socorro dois quilos de maconha. O flagrante aconteceu na Praça da Juventude no conjunto Augusto Franco", destacou o delegado Hildemar Rios, responsável pela investigação.
 
Ainda segundo o delegado, o trio planejava realizar mais um assalto em uma rodovia que corta o estado de Sergipe e por conta disso foi deflagrada a operação que culminou com a troca de tiros. "Cinco equipes do Cope foram até o local e montaram barreiras entre os municípios de Cristinápolis e Itaporanga. Eles agiam com muita violência e atuavam principalmente no roubo de caminhoneiros e veículos nas rodovias", destacou.
 

Os dois paulistas moravam em Aracaju há cerca de dez anos e tinham passagem pela polícia. O Leandro tinha condenações que somadas chegavam a mais de 24 anos com envolvimento em assaltos, porte de arma de uso restrito e sequestro. O carlos Ariel respondia inquéritos na cidade paulista de Praia Grande. O sergipano era o único que não tinha passagem pela polícia.