Sergipe

08/05/2014 às 10h16

Polícia Civil paralisa atividades e reivindica melhorias trabalhistas

Redação Portal A8

Desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (08), os policiais civis de Sergipe paralisaram as atividades por não terem recebido resposta do governo quanto a pauta de reivindicações da categoria.


Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Sergipe, Antônio Moraes, houve uma reunião nesta quarta-feira (07), mas nenhum acordo foi estabelecido devido à ausência de alguns representantes do Estado. “Nem o secretário da Fazenda nem o da Segurança Pública compareceram e sem esses órgãos não tem como os nossos problemas serem resolvidos porque eles são fundamentais para entrarmos em um consenso”, destaca.


Antônio Moraes diz que, a partir de agora, a polícia civil espera do governo uma nova data para dar continuidade às negociações. “Até que uma nova data seja agendada, nós iremos continuar com a paralisação”, alerta.


Inicialmente, os policiais civis reivindicavam um conjunto de insatisfações com 15 itens. Mas, ao passar das negociações, o governo pediu para restringir as reivindicações e selecionar apenas o que é prioritário, e a pauta foi reduzida para cinco itens. 


Uma contra proposta ainda foi sugerida pelo governo, mas a categoria não ficou satisfeita com as possibilidades oferecidas. “Eles queriam criar um subsídio que, na verdade, iria modificar a forma de remuneração dos policias.  Nós iríamos receber uma parcela única e deixaríamos de ganhar algumas bonificações que é de nosso direito. Com isso, essa proposta só seria aceita se esse subsídio fosse em um valor atraente para que abríssemos mão da atual forma de pagamento” afirma, Moraes.


Com a paralisação, a Polícia Civil está registrando apenas as ocorrências em flagrante. “Não estamos realizando boletim de ocorrência nem fazendo outro tipo de atendimento. As visitas aos presos só estão acontecendo em dias específicos”, finaliza Antônio.