Sergipe

01/05/2014 às 16h44

Sintrase comemora os 25 anos em ato festivo do 1º de maio

No mesmo ano que conseguiu aprovar na Assembleia Legislativa o plano de cargos e salários para os servidores da Administração Geral, O Sintrase completa 25 anos de existência e 68 anos de fundação da antiga Associação dos Servidores Públicos do Estado em Sergipe (ASPES).

Redação Portal A8

No ato festivo do 1º de Maio da CTB/SE, o Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público de Sergipe (Sintrase) comemora 25 anos de fundação. As comemorações do Dia Internacional dos Trabalhadores começou às 8h da manhã desta quinta-feira(1º de maio), na Praça da Juventude do conjunto Augusto Franco.  No ato da CTB e seus filiados tiveram música ao vivo e sorteio de brindes como bicicleta, televisores e outros eletrodomésticos.

 

História: 25 anos de sindicato e 68 de luta

 

Os servidores públicos da Administração Estadual vão levaram para a praça faixa e bandeiras com o selo comemorativo dos 25 anos do Sintrase.  O presidente do sindicato, Waldir Rodrigues conta que enquanto a efetiva ação sindical, o Sintrase foi fundado em 27 de abril de 1989. O sindicalista lembra, porém, que o movimento organizado por melhores salários no serviço público estadual começou há muitos anos, na década de 40.

 

“Este ano temos muito que comemorarmos. No mesmo ano que conseguimos aprovar na Assembleia Legislativa um plano de cargo e salários para os servidores da Administração Geral, estamos completando 25 anos de Sintrase e 68 anos de fundação da antiga Associação dos Servidores Públicos do Estado em Sergipe (ASPES). A reunião de fundação da Aspes aconteceu no Departamento de Educação do Estado de Sergipe no dia 17 de 17.04.1946”, historia o sindicalista.

 

O secretário da Juventude da CTB/SE e secretário-geral do Sintrase, Diego Araújo reforça para a importância da CTB e da comemoração coletiva do primeiro de maio. “A CTB tem mantido a tradição de reunir nessa data vários sindicatos e entidades para defender a agenda unificada dos trabalhadores. Essa central tem contribuído para o fortalecimento das organizações sindicais classistas a partir de um novo paradigma na relação de poder, democratizando as relações entre a central e seus filados”, afirma o diretor.