Sergipe

30/04/2013 às 11h58

Lixo acumulado causa prejuízo para comerciantes da CEASA

Redação Portal A8

Restos de verduras e frutas estão espalhados por toda parte da Central de Abastecimento. (Foto: Colaboração de Sérgio Ferreira)
Comerciantes da Central de Abastecimento de Aracaju (CEASA) estão vivendo dias difíceis por causa da quantidade de lixo acumulado nas dependências do local. Os vendedores reclamam que com o fechamento do lixão do bairro Santa Maria, a administração quer aumentar o valor da taxa para que o lixo seja recolhido. Enquanto o impasse não é resolvido os corredores da Ceasa estão sendo tomado pelo entulho.
O acúmulo de lixo também é um problema pra saúde dos frequentadores do local (Foto:Colaboração de Sérgio Ferreira)

Restos de verduras e frutas estão espalhados por toda parte da Central de Abastecimento. Segundo os comerciantes, a queda nas vendas já chega a 70%. "Já tem cliente deixando de comprar. Está aparecendo rato, barata e o mau cheiro tá demais. Se continuar assim vai ter que fechar", afirmou o vendedor José Francisco dos Santos.

O acúmulo de lixo também é um problema para a saúde dos frequentadores do local. "É perigoso pra nossa saúde trabalhar num lugar tão sujo. Nunca acumulou assim, não sabemos por que chegou nesse ponto, há 25 anos que trabalho aqui e nunca vi isso", declarou o comerciante José Cesdro.

A diretoria da Associação de comerciantes (ACEJU), que administra a CEASA, informou apenas que já está negociando com a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) para que o lixo seja retirado do local.

 

 

A direção da CEASA informou que está negociando com a Emsurb (Foto: Colaboração de Sérgio Ferreira)