Sergipe

11/07/2012 às 17h47

Justiça começa ouvir primeiras testemunhas da chacina no Huse

Redação Portal A8

A primeira audiência do processo que investiga a chacina ocorrida no dia 26 de abril, no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), aconteceu na manhã desta quarta-feira (11), na oitava vara criminal do Fórum Gumercindo Bessa.

A juíza do caso, Soraia Gonçalves de Melo, ouviu funcionários do hospital, parentes das vítimas e policiais, todos testemunhas de acusação requeridas pelo Ministério Público. A irmã de Márcio Adalberto, morto dentro do hospital, também foi ouvida na audiência desta quarta-feira. Ela estava acompanhando o irmão na sala de sutura, na noite do ocorrido, e presenciou o crime.

Mais de 30 pessoas foram requeridas, mas nem todas foram ouvidas por causa do tempo. Em outras audiências prestam esclarecimentos às testemunhas de defesa e por fim os réus.

A chacina do Huse começou na noite de 26 de abril, quando o irmão do tenente Genilson teve a moto roubada. Na tentativa de recuperar a moto, houve troca de tiros e o irmão do tenente foi morto, e os feridos foram levados ao Huse. A chacina, na sala de sutura do hospital, resultou na morte de um dos suspeitos do assalto e de outros dois pacientes que estavam sendo atendidos.