Sergipe

08/12/2011 às 16h17

Candomblecistas e umbandistas são recebidos pelo Arcebispo Dom Henrique

Redação Portal A8

 

Yalaorixá Mãe Angélica com o Arcebispo Dom Henrique na porta da Catedral Metropolitana. (Reprodução: TV Atalaia)

O cortejo de Iemanjá - ou Oxum para algumas vertentes religiosas - teve início na manhã deste feriado de quinta-feira (8) na Colina do Bairro Santo Antônio. Os seguidores do Candomblé e da Umbanda exaltaram o Orixá Iemanjá, considerada a ‘Rainha das Águas` e Oxum `Rainha das Águas Doces` com músicas e muito batuque. As religiões de origens africanas cultuam os orixás no mesmo dia dos santos católicos, isso surgiu na época da escravidão, quando os negros não podiam cultuar as crenças vindas da África. Com o passar do tempo alguns segmentos da religião afro passaram a idolatrar também os santos da Igreja Católica de forma verdadeira, acreditando no poder deles, como é o caso da Umbanda e do Candomblé. Embalados pelo sincretismo religioso eles cultuam com fervor Nossa Senhora da Conceição e o Orixá Iemanjá no mesmo dia. Eles deixam claro que são seres diferentes, mas respeitam e idolatram os dois.

Os candomblecistas e umbandistas foram recebidos na Catedral Metropolitana de Aracaju pelo Arcebispo Dom Henrique. Até o ano 2009 os seguidores da religião afro tinham acesso ao interior da igreja, mas agora não têm mais permissão para realizar a manifesto de fé dentro do templo católico. "É uma manifestação de fé, preparação e evolução espiritual. Nós exaltamos e respeitamos a mãe de Jesus Cristo. E, visitamos a Catedral Metropolitana todos os anos, estamos tristes, afinal não podemos mais entrar na igreja desde o ano passado. Mas, estamos felizes, pois fazemos parte também da Igreja Católica, mesmo que seja indiretamente. O passado da religião afro é ligado de corpo e alma com a igreja, é algo verdadeiro. Nós somos influenciados pelo cristianismo desde o período escravocrata. A nossa raça sobreviveu e não foi aniquilada, ela resistiu e vive até hoje. Não queremos distância da igreja, queremos aproximação, queremos a benção de Jesus Cristo e Nossa Senhora da Conceição, o nosso povo merece. Estamos felizes pela recepção dos católicos e respeitamos também a decisão deles, somos irmãos, filhos do mesmo pai", relatou a Yalaorixá Mãe Angélica.

 

Governador Marcelo Déda participa de missa na Catedral Metropolitana e recebe candomblecistas e umbandistas. (Reprodução: TV Atalaia)

As escadarias e a entrada da Catedral foram lavadas com perfumes de alfazema e flores. "É uma manifestação religiosa que merece ser respeitada. A Igreja Católica não concorda com o sincretismo religioso, mas entendemos também que existe um fato cultural envolvido nestes questionamentos. A Igreja todos os anos faz questão de receber os candomblecistas e umbandistas com todo o respeito do mundo", disse Dom Henrique.

 

O governador Marcelo Déda também recepcionou o cortejo dos candomblecistas e umbandistas e anunciou a reforma da Catedral Metropolitana. "O Brasil passa exemplo ao mundo. Variadas religiões convivem em harmonia. É um dever constitucional respeitar a manifestação de fé de cada pessoa ou grupo religioso", afirmou o governador de Sergipe.

Na noite desta quinta-feira (8) candomblecistas e umbandistas irão realizar cortejo em toda Orla de Atalaia a partir das 19h. Oferendas para Iemanjá serão deixadas na praia. No cortejo que será realizado à noite vai reverenciar a ‘Rainha das Águas` para os frequentadores da religião afro.