Sergipe

09/11/2011 às 19h00

Aracaju é a 4ª capital do país em emprego e renda

Redação Portal A8

De acordo com o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), medido pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, Aracaju aparece como a 4ª capital do país melhor colocada no quesito Emprego e Renda. Nessa categoria, a capital sergipana obteve o índice de 0,8957, em uma escala que varia de 0 a 1, e se manteve à frente de grandes capitais brasileiras, como Rio de Janeiro (0,8805), São Paulo (0,8799) e Porto Alegre (0,8028). A média nacional foi de 0,7286. Aracaju figura ainda na 17º posição, no quadro geral dos mais de 5 mil municípios brasileiros com os melhores índices de emprego e renda.
Já na avaliação geral do IFDM, feita com base em estatísticas públicas oficiais disponibilizadas pelo governo federal, a cidade registrou um índice de 0,7926 considerado um nível de desenvolvimento quase alto, e número superior à média nacional que foi de 0,7603. No quesito saúde, Aracaju alcançou o índice de 0,8097, também superando a média nacional que foi de 0,8017.

Na área da Saúde, a pesquisa avalia três variáveis: número de consultas pré-natal, óbitos por causas mal definidas e óbitos infantis por causas varáveis. Foi nesse cenário e com as ações constantes de prevenção e promoção à saúde que pela primeira vez o IFDM Saúde alcançou classificação de alto, o que revela os avanços de Aracaju na área.

"Esse é o resultado do trabalho incessante e do esforço que a gestão vem fazendo investindo em políticas públicas. Com o apoio do prefeito Edvaldo Nogueira, vários programas de prevenção e acompanhamento na área da saúde vem sendo fortalecidos e ampliados", afirma o secretário municipal de Saúde, Silvio Santos.

A pesquisa avaliou os 5.564 municípios do território nacional e os dados da pesquisa IFDM de 2011 faz referência ao ano de 2009, como também apresenta um comparativo dos índices de desenvolvimento municipal entre os anos 2000 e 2009. Nesse último aspecto, a capital apresentou um expressivo crescimento qualitativo geral, passando de 0,6630 (em 2000), para 0,7926 (em 2009), o que representa um aumento real de 19,5%.

Crescimento

No item educação, o comparativo mostra um crescimento de 15,5%. Em 2000, o índice da capital era de 0,5823. Atualmente é de 0,6726. No quesito Emprego e Renda, entre os anos de 2000 e 2009, Aracaju alcançou um percentual de crescimento de 50%, correspondendo à 6ª capital do país com a maior evolução na categoria durante esse intervalo de tempo.

Para o prefeito Edvaldo Nogueira, os bons resultados apresentados pela capital demonstram o compromisso da administração municipal em investir continuamente no setor de emprego da economia local.

"O Município de Aracaju também reafirma o seu compromisso com a geração de emprego e renda através da realização de investimentos diretos na cidade. Em recentes pesquisas divulgadas pelo Ministério do Trabalho e do Emprego, de janeiro a junho desse ano, foram contabilizadas 38.871 admissões e 29.450 demissões, correspondendo a um crescimento relativo de 2,28%. Além disso, entre 2004 e 2010, a economia da cidade cresceu acima de 53% e o PIB da cidade passou de R$ 4,5 bilhões para quase R$ 7 bilhões", avalia.

Fundat

Para chegar a uma conclusão na vertente Emprego e Renda, o IFDM tomou como base dados do Ministério do Trabalho do ano de 2009. Entre os principais fatores responsáveis pela posição de destaque de Aracaju, está o trabalho desenvolvido nos últimos anos pela Fundação Municipal do Trabalho (Fundat) da Prefeitura de Aracaju.

Nos últimos seis anos, mais de 21.600 cidadãos foram capacitados para o mercado de trabalho nos diversos cursos da fundação. Além da capacitação, a Fundat também faz o encaminhamento de profissionais para as empresas, através do Balcão de Intermediação de Mão de Obra.
"A prefeitura de Aracaju intermédia a contratação dos cidadãos qualificados, oferecemos às empresas um banco de currículos de pessoas treinadas. Foram aproximadamente 3.000 currículos encaminhados em seis anos, sendo que 1.400 foram empregados", destaca o prefeito.

CredPovo

Já o Credpovo, programa de geração de Emprego e Renda que repassa crédito às micro e pequenas empresas em convênio com bancos oficiais, oferece consultoria e assistência para pequenos e microempreendedores que precisam de crédito para abrir um negócio. Nos últimos seis anos, já foram emprestados mais de R$ 6 milhões através do serviço, sendo quase 400 mil somente este ano. A Fundat não empresta o dinheiro, mas dá todo o suporte na intermediação com os bancos, aquecendo ainda mais o mercado de trabalho na capital.