Sergipe

03/06/2011 às 08h39

Violência no campo - por Adiberto de Souza

Redação Portal A8

Em pleno Século 21 ainda se mata pela posse de terra neste país. Menos de um mês depois de quatro trabalhadores rurais terem sido assassinadas no Pará, o MST denuncia que famílias sem terra estão sendo ameaçadas por latifundiários no município sergipano de Gararu. Em março passado, a deputada estadual Ana Lúcia (PT) revelou ter recebido ameaças de morte por defender famílias quilombolas residente em Brejo Grande. É claro que os conflitos pela terra em Sergipe são bem menores do que os registrados na região Norte, onde, segundo a Ordem dos Advogados do Brasil, mais de mil trabalhadores correm risco de serem assassinadas por denunciarem latifundiários e madeireiros. Este clima tenso vai permanecer pelo país afora enquanto o poder público não colocar em prática uma política agrária que garanta terra a quem não as tem e puna aqueles que insistem em matar para garantir a posse de extensas áreas improdutivas.

Confira Blog completo