Sergipe

06/05/2011 às 18h10

Aracaju tem maior proporção de ciclovias do país

Na capital sergipana são aproximadamente 70 km para 570 mil habitantes

Redação Portal A8

Aracaju é a capital que tem a maior rede cicloviária, proporcionalmente à população. São aproximadamente 70 km para 570 mil habitantes. O Rio de Janeiro, que tem a maior extensão de ciclovias do país, tem 152 km para mais de 6 milhões de habitantes.

Mas um fato tem feito com que a PMA intensifique as ações de estímulo ao uso das ciclovias: o aumento progressivo e rápido da frota de veículos. Aracaju é a cidade onde mais cresceu o número de licenciamento de carros. Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em dezembro do ano passado 206.616 automóveis circulavam na capital.

Por entender que o uso da bicicleta como meio de transporte é uma alternativa eficiente e saudável para enfrentar o trânsito agitado, a Prefeitura de Aracaju vem buscando ampliar ainda mais e integrar as ciclovias da capital. Além de contribuir para minimizar esse problema, a bicicleta traz outros benefícios à população e à cidade, sobretudo quando o assunto é saúde.

"O incentivo ao uso desse meio de transporte é motivado não só pela perspectiva de redução dos engarrafamentos, mas também porque a bicicleta ajuda no condicionamento físico, é uma importante atividade de lazer e ajuda a reduzir a poluição", lembra o coordenador de Ciclomobilidade da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Fabrício Lacerda.

Segundo ele, paralelamente à ampliação das ciclovias, a administração municipal vem buscando outras formas de facilitar a vida dos ciclistas. A SMTT está viabilizando, por exemplo, a instalação de cerca de 30 paraciclos no Centro da cidade. "Paraciclos são estruturas em que as bicicletas podem ser presas dos dois lados. Isso é um avanço porque a partir disso as pessoas vão poder chegar até o centro e estacionar suas bicicletas com segurança perto do local de destino", afirma.

O projeto representa um investimento de R$ 4,2 milhões, recursos próprios do município. "Esse projeto também é muito simbólico no que diz respeito às políticas para pessoas de baixa renda, tendo em vista que hoje quem mais usa as ciclovias são trabalhadores, principalmente da construção civil. Além disso, o projeto ainda prevê iluminação, arborização e reforço na segurança", afirma o coordenador de Ciclomobilidade.

Fonte: PMA