Sergipe

22/11/2010 às 08h23

Casa é arrombada no bairro Atalaia

Redação Portal A8

No final da tarde desse domingo (21), uma casa foi arrombada no bairro Atalaia, nas imediações do conjunto Jardim Eldorado, zona sul da capital por volta das 17h30m.

Dênio Dória- proprietário da casa arrombada (Foto:Atalaia Agora )
A casa foi revirada (Foto:Atalaia Agora )

Segundo o proprietário da casa, Dênio Dória, a família encontrou a casa revirada após retornar do clube. "Resolvemos passar o dia no clube em família e com amigos. Quando voltamos, encontrei a minha casa toda remexida, arrebentaram o cadeado da frente e a porta do lado. Levaram televisores, celulares, Playstation, até o cachorro roubaram, mas ele já foi recuperado.É um absurdo a falta de segurança em um local que sempre foi tão tranqüilo".

Uma vizinha que não quis ser identificada, contou que minutos antes de tomarem conhecimento do fato, duas mulheres desconhecidas transitavam pela rua e uma delas parou na sua residência para pedir comida. "Eu sempre vou à porta atender as pessoas, mas dessa vez achei a mulher estranha, com aparência de drogada e da janela comuniquei que passasse outro dia. Não sei o que está acontecendo com esse conjunto, a insegurança está demais."

O empresário Márcio Rodrigo Barros Sobral, também já foi alvo dos assaltantes. Vizinho da vítima, ele relatou que o índice de assaltos na região cresceu nos últimos dois meses. "Já fui vítima desses assaltos que vêm acontecendo com freqüência, levaram computador, televisores, celulares e pertences pessoais. Estamos a mercê dos bandidos e temos que nos precaver investindo em sistemas de segurança e vigilância noturna. O problema é que agora os assaltos acontecem em plena luz do dia".

O empresário Márcio Rodrigo também foi alvo dos assaltantes (Foto:Atalaia Agora )

Segurança do Governo ameaçada

Demais moradores afirmam que os assaltantes não estão respeitando sequer a vigilância responsável pela segurança dos fundos do Palácio de Veraneio do Governo, pois os arrombamentos ocorrem nas proximidades da guarita. "Eles são tão ousados que não respeitam nem mesmo a polícia. As autoridades precisam tomar uma providência porque o Palácio do Veraneio é um local onde recebe também pessoas de fora e outras autoridades. Como a rua que dá entrada de veículos ao palácio acontece inúmeros assaltos? A segurança está ameaçada e independente disso, pagamos impostos, precisamos de mais policiamento no local", afirmou A.G.

Palácio de Veraneio do Governo (Foto:Atalaia Agora)

De acordo com o cabo Pitanga, um dos responsáveis pela segurança do Palácio, a guarita é responsável apenas pela segurança do Palácio e lamenta o fato. "A gente não pode sair daqui, temos que ficar de plantão na guarita e só prestar socorro quando necessário. Neste caso, por exemplo, quando temos conhecimento, acionamos a polícia e ligamos para o Batalhão do local e eles é que encaminham uma viatura".

Casa "abandonada"

A moradora S. D. relatou que em frente ao local onde aconteceu o último arrombamento, há uma residência que vem se tornando moradia para usuários de drogas e pedintes. "A casa foi reformada, de vez em quando aparece gente aí, mas ela vive fechada e teve gente que já entrou na casa. Ela serve como refúgio de assaltantes".

Moradores querem mais policiamento (Foto:Atalaia Agora )

 

Atraso da polícia

Os moradores também reclamaram que ao tomarem conhecimento do arrombamento, acionaram a polícia e aguardaram cerca de uma hora para a chegada da viatura. "Eles entraram na casa, nos aconselharam de fazer o B.O. e aguardar. Também entraram na casa abandonada para verificar se tinha algum bandido, mas não tinha ninguém. E não deram satisfação nem nada quanto a questão do policiamento no local ou se o caso irá ser investigado", afirmou. G.S.

Resposta da Polícia Comunitária

Segundo informações do Batalhão da Polícia Comunitária e responsável pela segurança no bairro, duas viaturas policiais estavam quebradas, mas já foram providenciados novos veículos. Quanto à casa abandonada, os moradores devem realizar um abaixo assinado, encaminhar para a Emsurb e para a mesma notificar a existência da residência e acionar os proprietários da residência. As providências serão tomadas. O capitão Eduardo Brandão fez uma visita na manhã desta segunda-feira (22) na casa da vítima e relatou que o caso será investigado. "Eu peço à comunidade que qualquer atitude suspeita que houver no conjunto ou situação de sinistro, pode ligar para 8824-8029/8030.Estamos 24 horas a disposição da população", disse o capitão.