Sergipe

29/10/2010 às 16h55

Número de animais silvestres capturados em áreas urbanas aumenta em Sergipe

De acordo com o Pelotão Ambiental, a aparição desses animais é mais comum na região sul do Estado

Redação Portal A8

O macaco prego demorou quatro dias para ser capturado (Foto: Atalaia Agora)
A captura de animais silvestres encontrados em áreas urbanas tem acontecido com frequência em  Sergipe. Depois do jacaré encontrado em uma área residencial no conjunto Augusto franco e do macaco prego, que mudou a rotina dos moradores do bairro Santa Maria, desta vez os policiais do Pelotão Ambiental capturaram um tamanduá bandeira.
O tamanduá bandeira também foi apreendido esta semana (Foto: Pelotão Ambiental)

De acordo com policiais do Pelotão Ambiental, a aparição desses animais é mais comum na região sul do Estado, pois costumam ser naturais da Mata Atlântica. Para o capitão Marcelo Rocha, o grande problema enfrentado pelo Pelotão é a falta de um espaço para a realização da triagem. "Após retirarmos esses animais do meio urbano a nossa dificuldade é não termos um lugar específico para que os bichos fiquem até o momento de soltura", explica o capitão que ressalta. "O ideal seria a criação de um Centro de Triagem de Animais Silvestres para verificar a situação dos animais", revelou.

Enquanto um espaço específico não é construído os animais capturados são encaminhados para o IBAMA, Parque da Cidade e Parque dos Falcões. "Quando os animais não podem ser levados para esses espaços temos que soltar antes de qualquer triagem", explicou.

Segundo o sargento Linsmar Cristo, outra preocupação é a tentativa de domesticar esses animais. "Ao encontrarem esse tipo de bicho a população deve ligar para o nosso 190, pois alimentar ou tentar domesticar os animais vai acabar alterando as características do animal e prejudicando no momento de soltura", alertou.

O jacaré foi encontrado por um morador do conjunto Augusto Franco (Foto: Atalaia Agora)