Sergipe

06/09/2010 às 14h49

Dupla é presa após cometer homicídio em São Cristóvão

Redação Portal A8

Policiais da 5ª Divisão do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam em flagrante dois homens que assassinaram Adailton dos Santos, o Taboca, 40 anos, na Rua José Agripim, Loteamento Lauro Rocha, em São Cristóvão. Bruno Santos de Sena, o "Pingo", 21, e Oziel Dias de Oliveira, o "Neném", 49, foram detidos em suas respectivas residências, no mesmo bairro, menos de uma hora depois de terem cometido o crime. Os três se envolveram em uma briga enquanto bebiam em um bar próximo e admitem a autoria, mas contam versões diferentes sobre como tudo começou.

Segundo o delegado Robério Santiago, "Pingo" e "Neném" desentenderam-se com "Taboca" por conta de um cigarro que a vítima se recusou a dar. "Quando o ‘Taboca` entrou no meio da conversa, ele foi xingado e deu um tapa no rosto de um dos envolvidos. Quando a vítima virou as costas, ‘Pingo` pegou um pedaço de pau e deu duas pauladas na cabeça dela. O ‘Neném` aproveitou que ele estava ferido, puxou uma peixeira que levada na cintura e o atingiu na barriga", conta Robério, revelando um detalhe cruel: Oziel chegou a retorcer a faca várias vezes dentro do corpo de Adailton, que morreu na hora. "Os dois agiram com muito ódio, muita raiva", classifica.

Após a briga, os dois fugiram levando as armas do crime, enquanto as testemunhas chamavam a polícia. Equipes do 1º Batalhão da Polícia Militar (1º BPM) chegaram primeiro ao local, seguidos do IML, do Instituto de Criminalística e do DHPP, que estava com uma equipe chamada "Local de Crime". Os policiais iniciaram logo a apuração e começaram a descobrir as provas do crime.

"Ouvimos as descrições de testemunhas e, com o que soubemos, descobrimos a casa do ‘Neném`, que estava com algumas marcas de sangue na porta. Dentro da casa, achamos outras manchas e encontramos o próprio acusado. Ele estava com as mãos ainda sujas de sangue e nem tinha lavado as mãos", disse o delegado. Desconfiados, os policiais prenderam Oziel e seguiram com as buscas na casa. Acabaram achando a faca peixeira, que tinha sido limpada em uma pia, e o pedaço de pau usado por Bruno, que estava enterrada no quintal. Robério disse que os dois objetos também estavam sujos de sangue.

"Diante das evidências, só restou ao acusado indicar onde estava o ‘Pingo` e ele nos levou até a casa dele, numa rua próxima. Ele estava lá e também foi preso", afirmou o delegado, citando que as versões apresentadas pelos acusados são contraditórias. "Não está claro se o ‘Taboca` morreu por conta da facada ou das pauladas, nem quem começou com a briga, mas já se sabe que houve um desentendimento, uma agressão e em seguida o crime", pontua.

Bruno Sena e Oziel Dias, que não tinham passagem pela polícia, foram autuados em flagrante por homicídio duplamente qualificado, ou seja, por motivo fútil e com recurso que anulou as chances de defesa da vítima. Eles estão presos na sede do DHPP e estão à disposição da Vara Criminal de São Cristóvão.

 

Fonte: SSP/SE