Sergipe

31/08/2010 às 16h42

PF prende estelionatária e apreende documentos usados para fraudar o INSS

A prisão de ACS e sua confissão ajudaram o desmantelamento de esquema para obtenção de benefício

Redação Portal A8
A dosumentação foi encontrada na casa de duas acusadas (Foto: PF)

Na tarde dessa segunda-feira (30) a Polícia Federal, em trabalho conjunto com a Assessoria de Pesquisa Estratégica e Gerenciamento de Risco do Ministério da Previdência Social - representação Sergipe - (APEGR-SE) efetuou a prisão da segurada A.C.S, 38 anos. A acusada foi flagrada apresentando atestado médico falso em exame pericial na Agência da Previdência Social do Bairro Siqueira Campos.

A prisão de ACS e sua confissão possibilitaram o desmantelamento de esquema para obtenção de benefícios assistenciais fraudulentos. A acusada confessou o delito e indicou o prenome e o endereço da fraudadora responsável que lhe forneceu o atestado médico falso, conhecida como "Claudia", residente no Bairro Albano Franco I, em Nossa Senhora do Socorro.

Cumprindo mandado de busca domiciliar expedido pela Justiça Federal, uma equipe de policiais federais arrecadou uma vasta documentação na residência de Claudia, que não se encontrava no local, a qual possibilitará a identificação de cerca de 38 benefícios supostamente obtidos mediante fraude, além da informação de que Claudia já responde a duas ações penais por estelionato na Justiça Estadual deste Estado.

Na casa de ACS também foi realizada uma busca domiciliar consentida, onde também residia uma terceira pessoa, segurada que havia solicitado benefício assistencial utilizando-se do mesmo esquema, oportunidade em que foi apreendido o seu atestado médico falso, a qual também responderá por estelionato contra o INSS.

O prejuízo potencial aos cofres públicos pode superar a cifra de R$ 230.000,00 ao ano, considerando apenas os documentos apreendidos nessa ação, uma vez que cada benefício concedido é no valor de um salário-mínimo ao mês.

As investigações continuam sob a coordenação do Delegado Federal Carlos Cesar Pereira com o fim de localizar CRSM, a agenciadora da documentação falsa e identificar seus comparsas.

 

Com informações da Polícia Federal