Sergipe

27/08/2010 às 17h45

Aracaju recebe o título de capital brasileira com menor número de fumantes

A pesquisa entrevistou 54 mil adultos e revelou ainda que, em todo o Brasil, continua diminuindo

Redação Portal A8

Na semana em que se comemora o Dia Nacional de Luta de Combate ao Tabagismo, dia 29 de Agosto, uma pesquisa da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde (MS), revelou que Aracaju é a capital brasileira com o menor índice de fumantes.

A pesquisa entrevistou 54 mil adultos e revelou ainda que, em todo o Brasil, continua diminuindo o número viciados em tabaco. Em 1989, 33% da população fumava, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição, realizada pelo IBGE. Atualmente o índice é de 15,5%, número bem inferior ao da Argentina e dos Estados Unidos, onde respectivamente 35% e 40% da população são dependentes da nicotina.

Segundo o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, as estatísticas do Ministério da Saúde somadas a outros indicadores demonstram que as políticas adotadas pelo município na área social reforçam o título de capital nacional da qualidade de vida conquistado por Aracaju. "Cerca de 1/3 de todos os cânceres está ligado ao fumo e o fumante passivo tem 30% a mais de câncer do que o individuo que nunca fumou. Então o baixo índice de tabagismo na cidade contribui para que tenhamos uma população mais saudável, produtiva e feliz", declarou o prefeito.

Ultimamente o Ministério da Saúde tem realizado uma série de ações no sentido de combater o uso do cigarro. Entre elas, a proibição de publicidade do tabaco, o aumento de impostos sobre o produto e a inclusão de advertências mais explícitas sobre os efeitos danosos do fumo nos maços. O MS também defende o projeto de lei que proíbe fumar em ambientes coletivos e acaba com os fumódromos. A proposta foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, em março deste ano, e está agora na Comissão de Assuntos Sociais da Casa em caráter terminativo.

Fumo Passivo

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Nacional do Câncer cerca de 2,6 mil não-fumantes morrem por ano no Brasil devido a doenças provocadas pelo fumo passivo. Pessoas que não fumam, mas enfrentam essas condições, têm 30% de chances a mais de desenvolver câncer de pulmão e 24% a mais de sofrer infarto e doenças cardiovasculares.

Os aracajuanos também se destacam nacionalmente por aderir e respeitar as legislações que proíbem em ambientes coletivos públicos e privados o uso de cigarros, cachimbos, charutos e qualquer outro produto semelhante. Sem utilizar de ações coercitivas, as campanhas e ações de combate ao tabagismo vêm sendo realizadas pela Vigilância Sanitária da PMA (Covisa) com blitz, fiscalizações e panfletagens de informação.

A coordenadora da Covisa, Ana Angélica Ribeiro, disse que as ações preventivas e educativas irão continuar a todo vapor. "No período de 27 a 31 de agosto, vamos intensificar as ações com fiscalizações e blitz de combate ao fumo além da distribuição de material educativo", explica a coordenadora.

Fonte: ASCOM/PMA