Sergipe

10/05/2010 às 08h23

Quebra-de-braço na Justiça - por Adiberto de Souza

Redação Portal A8

Ao cruzarem os braços nesta segunda-feira, os servidores do judiciário sergipano vão enfrentar aquele Poder. Mesmo existindo uma ação cautelar proibindo a greve, o movimento é dado como certo pela grande maioria dos funcionários. Eles alegam que recorreram à paralisação porque a presidência do TJ recusa-se a atender suas reivindicações salariais.

Na sexta passada, portanto três dias antes de a greve existir de fato, o Judiciário tornou o movimento ilegal, numa ação que penaliza o sindicato em R$ 5 mil por cada dia parado. Os servidores não se intimidaram e prometem cruzar os braços mesmo assim.

Esse confronto não é bom para nenhum dos lados, porém se a categoria decidiu paralisar as atividades é porque sabe aonde o sapato aperta. Tomara que antes de o caldo engrossar de vez, se encontre um entendimento, a exemplo do que aconteceu o ano passado em idêntica situação.

 

Mais informações no blog de Adiberto de Souza