Sergipe

06/05/2010 às 18h32

Major Mendes responde as críticas de blog da Folhaonline

Coordenador da Defesa Civil enviou uma carta-resposta ao blog pelas críticas feitas ao seu trabalho

Redação Portal A8

O major Mendes, coordenador da Defesa Civil, respondeu as críticas feitas no blog "Novo em Folha" do programa de Treinamento do jornal Folha de S. Paulo. Intitulado "Quando o major não sai do banheiro", o texto da jornalista paulista criticou o coordenador por demorar no atendimento a jornalista trainee Thaís Bilenky.

Confira abaixo a resposta do major Mendes:

"Cara Jornalista Ana Estela de Sousa Pinto, venho através deste e-mail solicitar cordialmente um espaço no blog o qual é editora para explicar algumas informações colocadas no dia 04/05/2010 pela trainee Thais Bilenki com o título "Quando o major não sai do banheiro". A sorridente trainee me ligou nesta mesma data, (dia 4), e ao atender o telefone, por volta da 15 horas, respondi todas as perguntas feitas com riqueza de detalhes. Ela insistia para que confirmasse um desastre que não ocorrera nas últimas 48 horas em Sergipe, mais precisamente no Morro do Avião na capital sergipana. Os problemas que lá ocorreram datam do início do mês de abril, entre os dias 09 a 13. As famílias que tiveram suas casas destruídas foram abrigadas inicialmente em escolas pelo poder público (município de Aracaju), sendo depois muitas delas transferidas para um conjunto habitacional em fase final de conclusão. Percebi que se frustrou por querer noticiar um desastre que não ocorrera.

Entendo que a Trainne tinha apenas meia hora para noticiar um desastre (que não ocorreu nos estado de Sergipe nos dias 03 e 04 maio), entretanto, a Defesa Civil Estadual trabalhou arduamente durante os dias de dificuldade em todo estado no mês de abril e manteve um relacionamento aberto com a imprensa local e de todo o Brasil, sendo inclusive alvo de bastantes elogios. Talvez a jornalista não tenha atentado para detalhes simples na utilização do site como fonte de consulta, pois em nenhum momento havia informação de que eram oito municípios. Apenas observou a primeira página do arquivo, deixando de acionar a barra de rolagem do computador para ter acesso a uma segunda página. Desta forma pode contar apenas oito municípios, pois a complementação da informação estava na página seguinte. O detalhe é que essa informação se encontra lá há dias.

Quanto ao horário de funcionamento de nossas atividades, reafirmo que, em período de normalidade, trabalhamos da 07h30min as 17h30, e nos momentos de ocorrência de desastre, esse horário é de acordo com necessidade do serviço, muitas vezes perdurando por dias ininterruptos. Ainda contamos com uma escala de plantão que funciona 24 horas por dia, sete dias da semana, trinta dias do mês e 365 dias no ano, em contato direto com a população e com os órgãos setoriais. No caso específico de ontem, dia 04 de maio, estávamos com seis equipes compostas por engenheiros e técnicos em diversos pontos do estado, fazendo avaliações de riscos e encaminhando soluções para prevenção de desastre. Relembro que conversamos no período da tarde, por volta das 15horas. Perceba a incoerência da afirmação que trabalhamos apenas até as 13 horas.

Em outro parágrafo a jornalista informa não ter conseguido contato com o Secretário Executivo da Defesa Civil, Major Mateus, alegando que o mesmo não atende celular e encontrava-se em casa. Essa informação é, no mínimo, estranha; pois na última quinta-feira a Dr. Telma, Juíza Federal determinou a realização de vistoria com prazo de 07 dias em uma área com aproximadamente 170 unidades habitacionais e desde então o referido profissional está envolvido nestas vistorias, sem tempo para quaisquer outras atividades, trabalhando das 07h30 às 18h00 para cumprir a determinação judicial e, segundo ele, todas as ligações que por ventura não pode atender, retornou minutos depois. No dia citado pela jornalista não há registro de ligação do Estado de São Paulo em seu celular, salvo se for uma ligação com número confidencial registrada às 14h35min a qual não pode ser retornada por falta do número.

A título de informação, o estado de Sergipe foi referência nacional, citado pelo órgão Nacional de Defesa Civil pela atuação pro ativa e com satisfatório desempenho nas ações de resposta a desastre. Isso se deve pelo fato de três meses antes do período chuvoso, termos elaborado um planejamento estratégico envolvendo todos os municípios sergipanos e a estrutura do Governo do Estado. Orientando para elaboração de planos municipais para minimização de desastre. Bem como fizemos com um plano de contingência para emprego da estrutura operacional do estado com envolvimento direto de todas as secretarias estatais em possíveis ações de Defesa Civil. Veiculamos informações para população do estado, em especial as mais vulneráveis. E quando o momento crítico chegou, trabalhamos coordenando as ações de Defesa Civil em nível de estado e mesmo com a gravidade do evento adverso, pudemos nos recompensar por não termos perdido nenhuma vida humana. Tudo isso se deve graças ao trabalho sério e abnegado de todos que fazem a Defesa Civil do Estado de Sergipe. Lamentamos por nossos irmãos, principalmente do Rio de Janeiro e de São Paulo, que contabilizaram mortes em suas estatísticas.

E para concluir, deixo bem claro que a Defesa Civil do Estado de Sergipe lamenta as chacotas contidas no último parágrafo do texto, pois é claro que a palavra "diferente" usada pela sorridente jornalista, expressa, de acordo com o contexto geral, "discriminação" para com os estados, principalmente do Norte e Nordeste do país. Não podemos aceitar qualquer tipo de discriminação por que temos certeza de que o que fazemos aqui não deixa nada a desejar em relação a outros estados mais ricos da Federação. Pedimos, assim, o direito de resposta através deste documento que tem como principal objetivo fazer justiça e levar a verdade dos fatos a todos que acreditam e colocam sua segurança em momento de desastre sob responsabilidade dos Órgãos de Defesa Civil."


Aracaju, 05 de maio de 2010

JOSE ERIVALDO MENDES - MAJ QOBM
Coordenador Especial de Defesa Civil de Sergipe