Sergipe

27/04/2010 às 12h31

Lavrador preso por engano pede Justiça

Redação Portal A8

O lavrador Marcelo Nunes Santos, de 23 anos, do povoado Lagoa Redonda, localizado município de Itabí, distante 132 quilômetros da capital, denuncia que foi preso por engano no último dia 19.

Marcelo clama por Justiça (Foto: AtalaiaAgora)

Segundo relato do lavrador, por volta das 18horas, no momento que estava chegando à escola, foi aborado por policiais do Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga, sob acusação de ser um homicida perigoso e um traficante de armas. Diante da ação policial, Marcelo tentou fugir, mas acabou sendo detido.

O lavrador foi levado à cidade de Nossa Senhora da Glória e verificaram que a ficha criminal não tinha registro e que era outro Marcelo que estava sendo procurado.

"Fui humilhado. Eles invadiram a minha casa, quebraram tudo. Minha esposa e meus filhos ficaram abalados. Os policiais afirmaram que eu era bandido o que eu não sou. Hoje não tenho vontade nem de sair de casa por vergonha. Quero que eles sejam punidos e a Justiça seja feita", clamou o lavrador, acrescentando que os militares levaram duas armas de fogo que ele utilizava para caça.

A prisão de Marcelo foi anunciada no Portal de Notícias da Secretaria de Segurança Pública (SSP) no dia 20 de abril. No texto a Polícia afirma que o jovem confessou que realizava assaltos na região com outro comparsa e que estava sendo acusado de homicídio. "Não confessei nada. Eles queriam que eu falasse, mas sou inocente e vou buscar Justiça", afirmou. A reportagem do Atalaia Afora realizou pesquisa no site da SSP, porém a reportagem foi retirada do sistema.

Na manhã de hoje (27) Marcelo Nunes veio a Aracaju e se encontrou com o corregedor da SSP, Carlos Frederico, onde prestou depoimento sobre a ação dos policiais. "Vamos ouvir o relato dele e investigar o que aconteceu para esclarecer os fatos", disse.

 por Sandra Cruzz