Sergipe

24/04/2010 às 17h53

Família de jovem denuncia negligência no HUSE

Redação Portal A8

 

O jovem estava internado há 15 dias por causa de uma fratura na bacia (Foto : Atalaia Agora)

A família do pintor Márcio Moisés Brito Nascimento, 26 anos, que morreu na tarde da última sexta-feira (24) após passar por uma cirurgia, denuncia o Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE) por negligência. Há quinze dias o jovem estava internado por causa de uma fratura na bacia e ao conseguir a operação morreu. De acordo com o laudo médico a morte foi provocada por complicações respiratórias.

 

Além das dificuldades de realizar exames e o mau atendimento, os familiares ficaram revoltados com a falta de informação a respeito da causa da morte do rapaz. "Meu filho estava bem, nunca apresentou nenhum problema. Ele só precisava de uma cirurgia simples por causa da fratura, agora os médicos estão dizendo que ele teve um infarto", revelou o pai da vítima, José Francisco.

De acordo com o irmão de Márcio, Manoel Messias Nascimento, o rapaz estava bem e a própria equipe do Hospital alegou isso. "Quando foi no início da tarde liguei para o hospital e me disseram que a cirurgia estava correndo bem", afirmou o irmão que ressaltou. "Depois de duas horas ligaram para o meu pai dizendo que a cirurgia tinha sido complicada e ele veio a óbito por causa de um infarto", explicou.

O pintor foi internado após ser atropelado por uma moto, por causa da fratura estava internado todo esse tempo e por várias vezes a cirurgia foi remarcada. "Teve uma vez que marcaram a cirurgia e esqueceram de levar meu irmão para a sala de operação, ele ficou esquecido recebendo soro", denunciou Manoel Messias que desabafou. "Se ele ficou doente foi por ter ficado esse tempo todo esperando, pode ter contraído uma infecção", disse.

O pai de Márcio também reclama por ter sido informado da morte do filho por uma assistente que não soube explicar o ocorrido. "Ela não sabia dizer ao certo o que provocou a morte do menino e quando perguntei pelo médico ela falou que já tinha ido embora", contou.

HUSE

Segundo a direção do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), após uma hora do início da cirurgia o paciente apresentou convulsões e teve paradas respiratórias, a situação foi estabilizada e ele foi encaminhado para sala de recuperação, onde sofreu outra parada respiratória e não respondeu mais as manobras médicas. A respeito da denúncia de mau atendimento, a assessoria informa que desde o dia que deu entrada no HUSE o paciente foi acompanhado pela equipe de ortopedia.