Sergipe

12/01/2010 às 11h20

SSP auxilia investigações sobre morte de policial civil em Alagoas

Redação Portal A8

Colegas de trabalho do agente de polícia civil Sergio Figueiredo Souza, 51 anos, ficaram chocados com a notícia do seu assassinato ocorrido na noite desta segunda-feira(11) na praia do Pontal do Peba no município alagoano de Piaçabuçu. O servidor da SSP foi covardemente morto por criminosos que se identificaram como policiais antes de matá-lo.

Assim que soube do fato, o secretário João Eloy determinou investigação imediata para elucidar o caso e prender os executores do policial. Ainda na madrugada, o delegado Everton dos Santos, coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), seguiu para Piaçabuçu a fim de auxiliar as investigações da polícia alagoana, com uma equipe de mais 15 policiais civis.

Além de Sérgio, foi morto um amigo que estava com ele, José Jaminho Teixeira, e um sapateiro que estava próximo ao local e presenciou a ação dos criminosos. O filho do policial, que também estava no veículo, por pouco não foi morto. Sérgio ingressou no serviço público no dia 31 de outubro de 1979 e estava lotado desde o ano de 1983 no Instituto de Criminalística.

Bastante emocionado, o diretor do Instituto de Criminalística, Leandro José de Menezes Lima, avaliou o episódio como uma tragédia. "O que apenas posso dizer é que perdemos um grande amigo e um excelente profissional", disse.

Já o diretor da Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp), Adelino Lisboa, destacou que o policial era um exemplo de profissional. "Sergio foi um grande colega e um excepcional profissional. Bastante atuante, ele não media esforços e a qualquer hora do dia estava à disposição das demandas da SSP. Foi um dos peritos com o maior número de procedimentos realizados nos últimos anos. Vai fazer muita falta". O corpo do policial civil permanece no Instituto Médico Legal de Maceió, onde aguarda a liberação. Ele será sepultado em Aracaju.

O superintendente da Polícia Civil, delegado João Batista, também lamentou a perda de Sérgio Figueiredo. "Era um dos melhores profissionais que tínhamos no Instituto de Criminalística. Hoje os que fazem a SP estão muito tristes com a morte do Sérgio", comentou.

Ação criminosa

De acordo com informações da polícia, o triplo homicídio aconteceu depois que um vendedor de peixe foi perseguido pelos criminosos pelas ruas do Pontal do Peba. A vítima foi interceptada nas proximidades da delegacia da cidade de Piaçabuçu. Lá, os criminosos se identificaram aos gritos como policiais para não chamar a atenção dos servidores que estavam na unidade policial.

O policial sergipano, que estava em uma rua próximo ao local, onde observava uma casa que pretendia alugar para passar o Carnaval com a família, ouviu o barulho e foi averiguar o que acontecia , identificando-se como policial. Os marginais, então, pediram para ele mostrar a carteira. Foi aí que Sergio foi atingido com disparos. O seu colega também foi morto sem piedade. Uma terceira vítima, que estava na esquina e presenciava todo o fato, foi executado, também, pelos criminosos. O filho do policial, que estava dormindo no carro, escapou por pouco.

 

Fonte:SSP/Se