Sergipe

11/01/2010 às 11h42

Cesta básica tem queda em Aracaju, diz Dieese

Redação Portal A8

O valor da cesta básica caiu em 16 das 17 capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) em 2009, na comparação com o ano anterior, segundo dados divulgados nesta segunda-feira.

A variação negativa ficou entre 14,92% e 3,71%. A alta ocorreu apenas em Belém (2,65%).


As maiores quedas foram em João Pessoa (14,92%), Natal (12,57%) e Aracaju (3,71%). Já as menores ocorreram em Vitória (3,71%) e Manaus (4,38%). Em São Paulo, a retração ficou em 4,72%.

Na capital sergipana, os gêneros alimentícios essenciais apresentaram em dezembro último, o menor valor dentre as 17 capitais onde o DIEESE realiza, regularmente, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, com R$ 169,18. Este valor é 0,78% maior que o apurado em novembro e 12,47% inferior ao exigido em igual mês, em 2008.

Dos 12 produtos que compõem a cesta básica pesquisada em Sergipe, sete subiram em dezembro: farinha (3,17%), acucar (2,30%), leite (1,86%), carne (1,84%), pao (1,74%), feijao (1,01%), e a manteiga (0,90%). O preço do tomate manteve-se estabilizado. Os preços dos outros tres itens caíram: banana (-4,40%), arroz (-1,12%), oleo (-0,40%).

Sete itens registraram alta em seus preços quando comparados com dezembro de 2008. Elevações expressivas ocorreram para o açúcar (45,90%), banana (22,59%), leite (11,56%), oleo (7,73%), pao (7,60%), farinha (2,63%), menos intensa para o cafe (0,41%). Dentre os produtos que registraram queda, as maiores foram verificadas para o tomate (-53,46%), o feijao (-44,62%), arroz (-30,14%), manteiga (-12,06%), carne (-0,49%).

Para adquirir o conjunto de bens de primeira necessidade, o trabalhador sergipano cuja remuneração equivale ao salário mínimo necessitou cumprir, em dezembro de 2009, uma jornada de 80 horas e 03 minutos, ligeiramente maior que a necessária em novembro, que correspondia a 79 horas e 25 minutos. Em relação a dezembro de 2008 a redução é maior, pois naquele mês o comprometimento chegava a 102 horas e 28 minutos.

Também quando se considera o valor do salário mínimo líquido - após o desconto da parcela referente à Previdência Social - verifica-se a mesma correlação. No último mês de dezembro, a relação entre o custo da cesta e o salário mínimo líquido correspondia a 39,89%, enquanto o de novembro chegava a 39,24% e em dezembro de 2008, atingia 50,62%.

O Dieese estima em R$ 1.995,91 o salário mínimo adequado, com base no maior valor apurado para a cesta e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o piso deveria suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. Esse valor representa 4,29 vezes o mínimo em vigor em dezembro (R$ 465).

 

Com informações do Dieese