Sergipe

16/10/2009 às 15h25

Juíza nega ao Banese o pedido de ilegalidade da greve

A juíza acredita que há espaço para entendimento entre as partes, por isso marcou nova audiência

Redação Portal A8

Na manhã desta sexta-feira (16) o Sindicato dos Bancários de Sergipe participou de uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para tratar de um pedido de dissídio coletivo instaurado pelo Banco do Estado de Sergipe (Banese). No último dia 13, a juíza Maria da Graça negou ao banco um pedido de liminar para decretação da ilegalidade e ou abusividade da greve dos servidores.

A juíza acredita que ainda há espaço para entendimento entre as partes, por isso marcou nova audiência para a próxima quarta-feira (21), às 9h30, quando novamente Sindicato e banco sentarão por uma tentativa de conciliação, oportunidade em que o Sindicato deverá juntar sua defesa. Caso não haja entendimento, será instaurado o dissídio com relator e revisor.

As divergências continuam entre as partes, para os representantes do Banese, o banco já teria avançado tudo que podia. Para o Sindicato, o banco não atendeu as cláusulas da minuta específica deste ano, inclusive as que não têm impacto financeiro. O documento enviado ao sindicato consta itens que não são praticados, como se estivessem sendo, e outros que não fazem parte da minuta, a exemplo de convênios com a Ford e cursos de idiomas, e reforma de agências e postos.

Em Sergipe, os bancários continuam em greve na Caixa Econômica Federal, no Banco do Estado de Sergipe (Banese) e no Banco do Nordeste. Nesta sexta-feira (16), 23º dia de greve nacional, das 21 agências da Caixa Econômica existentes no Estado, 20 mantiveram-se fechadas. No Banco do Nordeste, o número de agências fechadas também manteve-se o mesmo: 14 das 15 agências do Estado. E no Banese, mais quatro agências aderiram: agora são 39 agências paradas, sendo cinco parcialmente.

Para a diretora do Sindicato dos Bancários Ivânia Pereira, a paralisação dos bancários da Caixa, BNB e Banese está muito forte, apesar dos bancos estarem fazendo propostas irrisórias, que não atendem as reivindicações da categoria. "Os bancos estão brincando de atender as reivindicações dos bancários. Penso que toda a categoria que permanece em greve, deve continuar até que os bancos coloquem uma proposta justa sobre a minuta específica apresentada", destaca Ivânia.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Sergipe