Sergipe

06/10/2009 às 09h52

Produção de sementes traz melhorias para produtores

Redação Portal A8

Produtores do perímetro irrigado Califórnia, em Canindé do São Francisco, no Alto Sertão sergipano, estão recebendo novas orientações na hora de escolher as atividades a serem desenvolvidas. As ações são coordenadas pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), através da Companhia de Recursos Hídricos e de Irrigação de Sergipe (Cohidro), responsável pelo gerenciamento do perímetro. Um dessas ações é o Programa Estadual de Sementes, batizado de `Sementes da Vida`, que já está trazendo mudanças para a vida dos agricultores e bons resultados ao final de cada colheita.

Sementes traz melhorias para produtores (Foto: Divulgação)
Iniciado em 2007, o programa surgiu para que os produtores rurais pudessem ter o incremento e diversificação de suas produções, antes, voltadas apenas para o cultivo do quiabo. Outro problema era que no governo passado, as sementes repassadas para os agricultores pelo governo eram adquiridas em outros estados, o que não gerava emprego em Sergipe.
Grãos de qualidade (Foto: Divulgação)

Com o surgimento de novas tecnologias, a implantação de uma nova política agrícola pela administração atual e a disponibilidade de crédito através do Banese, os produtores passaram a produzir sementes com o mesmo nível de qualidade ao produto adquirido fora de Sergipe. "Em 2008, através da Seagri, o governo disponibilizou para o plantio, sementes selecionadas da Embrapa e abriu linhas de crédito para que os cooperados pudessem preparar o solo e o plantio", lembra José Gomes da Silva Filho, engenheiro agrônomo e diretor do perímetro.

De acordo com ele, a política estabelecida pelo Governo do Estado está interferindo de forma positiva na vida do produtor. "Esta nova política governamental está transformando os agricultores do perímetro Califórnia em pequenos empresários rurais. Eles deixam de ser produtores de grãos e passam a produzir sementes melhoradas, deixam de produzir matéria-prima e passam a produzir tecnologia", avalia o engenheiro.

O diretor do perímetro acrescenta que com o forte diferencial da produção de sementes de qualidade, o preço da comercialização tem uma melhora brusca, uma vez que, enquanto os grãos a preço de mercado custam atualmente R$ 21,00 a saca de 60 quilos, o de sementes gera para o pequeno produtor uma remuneração equivalente a R$ 108,00, a mesma saca.

Satisfeitos

A melhora do preço é comemorada pelos irrigantes de Canindé. "Agora tudo está diferente, temos mais responsabilidade para ter qualidade e conseguir ampliar a produção. Estou satisfeito com a mudança, o preço é praticamente quatro vezes superior ao cultivo de grãos, ocupando a mesma área e tendo o mesmo trabalho com a terra. O trabalho do Governo está realmente mudando as condições de vida do agricultor do sertão", relata Charles Santana, que já trabalhou na colheita de grãos de milho em Paripiranga (BA), e comemora a colheita das sementes de milho no seu lote de 13 hectares.

Para o produtor Cleverton Macedo dos Santos, a melhor decisão tomada por ele até hoje, foi morar em Canindé de São Francisco, já que tudo que conquistou de bom em sua vida foi através do perímetro Califórnia. "Eu sou um felizardo. Cheguei à cidade assim que o projeto das sementes foi implantando, então eu tive a oportunidade de dar início ao programa que há três anos só traz benefícios para nós produtores", comemora o produtor.

Kits de irrigação

Um dos fatores primordiais para os bons resultados obtidos no programa de produção de sementes de milho foi a mudança do sistema de irrigação instalado nos lotes dos 261 produtores para micro-aspersão. Segundo o produtor Carlos Roberto Pimentel Santana, que reside no município há dois anos, com a instalação do kit de irrigação, os problemas antes contidos no perímetro foram solucionados. "O kit de irrigação ajuda muito na hora de plantar. Se antes a gente gastava 10 horas para irrigar nosso lote, hoje podemos fazer em aproximadamente três e sem precisar de mão de obra alguma. Estou muito satisfeito com isso," diz o agricultor.

"O novo sistema de irrigação é tudo, gastamos menos e aproveitamos mais, já que quando economizamos água podemos usá-la na plantação de outras culturas. Sem contar que não precisamos pagar mais mão de obra, que era um absurdo. Nosso trabalho enquanto a irrigação hoje é apenas fiscalizar, ver se tem algum cano entupido e no final do dia lavar o filtro. Graças a esses kits de irrigação que chegaram através do governo e da Cohidro, temos condições de irrigar até no verão", ressalta o produtor.