Sergipe

10/09/2009 às 11h44

Comunidade Xocó comemora 30 anos de emancipação

Redação Portal A8

A comunidade Xocó, situada na Ilha de São Pedro, município de Porto da Folha, comemorou com uma grande festa na noite de ontem(09), os 30 anos de emancipação da aldeia. De acordo com o cacique Lucimário Apolônio Lima, há mais de 100 anos a tribo vivia na aldeia Caiçara sob o domínio de fazendeiros. "Diante de tantos massacres, viemos para a Ilha de São Pedro para tentar fugir das humilhações", afirmou.

Em 27 de maio de 1979, através de um pedido do bispo Dom José Brandão de Castro ao então governador Augusto do Prado Franco, a aldeia conseguiu sua independência absoluta.

Os nativos têm motivos de sobra para comemorar o fato histórico. "Para nós é uma grande satisfação. Antes éramos discriminados e massacrados. Há 30 anos retomamos nossa história", disse Manuel Acácio Martins, uma das lideranças da aldeia.

 

A comunidade participou de missa cotólica e homenagens (Foto:ASN)

A festa de emancipação da aldeia começou na terça-feira, 8, com uma série de palestras sobre a história da comunidade. Os alunos apresentaram também uma peça teatral mostrando os fatos que levaram a aldeia à sua independência. Na quarta-feira, 9, a abertura dos festejos ocorreu com uma apresentação do Toré (dança sagrada) e celebração de uma missa para os indígenas.

 

Joelma Gomes Silva, membro da tribo Xucuru Cariri, também reconhece a importância da emancipação da comunidade. "Esse ano é muito importante pois foi com muita luta e muita garra que eles conquistaram a terra. Eles sofreram bastante e hoje estamos comemorando com alegria", disse. A aluna Gleice Kelly também ressaltou a luta dos seus antepassados. "Foi uma luta muito grande, mas nós conseguimos conquistar as nossas terras", afirmou.

Educação - A comunidade é atendida pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) no Colégio Indígena Estadual Dom José Brandão de Castro, que oferece a educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. A Seed tem promovido a inclusão da tribo Cariri Xocó através da educação com 16 professores e 112 alunos em atividade.

"Temos a escola como ponto de referência. Eles trazem o saber de casa e nós valorizamos e fortalecemos a cultura deles. Trabalhamos ao mesmo tempo as tradições locais e a cultura universal", disse a diretora da unidade de ensino, Nadja Rodrigues.

Durante a celebração, houve uma homenagem com entrega de certificados a diversas personalidades da aldeia e a representantes da Secretaria de Estado da Educação. Uma das homenageadas da comunidade foi a professora Enói Bezerra Lima, uma das pioneiras na educação da aldeia.

Da Secretaria de Educação, várias professoras e representantes também receberam o certificado como a diretora da DRE 7, Luana Marques da Silva, e a coordenadora do Nedic, Maria da Conceição Mascarenhas, pelos trabalhos realizados em prol do ensino de qualidade na aldeia.

Com informações da ASN