Sergipe

21/03/2009 às 10h26

PMA não dará aumento a professores e médicos

Na reunião, o secretário de Finanças, Jefferson passos foi categórico ao afirmar que a PMA não tem condições. neste momento, de atender a reivindicação das categorias. Disse que a queda na arrecadação torna inviável a implantação do piso salarial.

Redação Portal A8

Uma reunião de emergência convocada na tarde de ontem (20) pela Prefeitura de Aracaju não trouxe bons resultados para médicos e professores da rede que estão em greve. As categorias tinham a expectativa de fechar um acordo diante da reivindicação da implantação do piso salarial, mas receberam um ‘não` da comissão de negociação.

Na explanação, o secretário Jefferson Passos falou do cenário das finanças da capital destacando que as duas maiores receitas do município tiveram queda. "O FPM [Fundo de Participação dos Municípios] e o ICMS [Imposto de Circulação de Mercadoria e Serviços] tiveram uma retração respectivamente de 14 e 5%. A Receita Federal está no quarto mês consecutivo de queda", ressaltou ao afirmar que a PMA que não vai ter condições de atender às reivindicações das categorias em 2009. .
Professores

"É preciso dados concretos. A Prefeitura tem que mostrar para a categoria a receita do município, além do espelho da folha de pagamento. Mostrar a realidade dos fatos. Não há como avaliar a situação da categoria em cima de probabilidades", avalia a presidente do Sindicato do Professores Municipais de Aracaju (Sindipema), Maria Elba da Silva.

No calendário de eventos do Sindipema, nessa segunda-feira, 23, às 15h, na sede do sindicato - Rua Carlos Correia, 430 - bairro Siqueira Campos será realizada assembléia geral com a categoria. Na terça-feira, dia 24, a professora Maria Elba da Silva ocupa a tribuna da Câmara dos Vereadores às 9h para falar sobre o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN).

Médicos

Os médicos da rede municipal que estão em greve desde o dia três deste mês não esconderam a indignação após o fim da reunião. De acordou com o presidente do Sindicato dos Médicos, José Menezes, a reunião não foi uma mesa de negociação e sim uma imposição. "Nada que continha na proposta apresentada pelos médicos foi acatada". Disse o sindicalista.
Na terça-feira, dia 24, na sede do Sindicato às 07h30min horas está confirmada a próxima assembléia, quando o resultado será apresentado para a categoria que decidirá os novos rumos a serem tomados.