Sergipe

06/03/2009 às 18h57

Governo homenageia sergipanas através de programa de Saúde

Redação Portal A8

O lançamento do programa de saúde "Bem Mulher" foi a oportunidade para o Governo de Sergipe homenagear todas as sergipanas. O programa que trabalha o combate ao câncer do colo do útero, vai percorrer, só neste mês de março, quatro municípios e atender cerca de cinco mil sergipanas.
"Optamos por fazer o lançamento na semana que antecede o Dia da Mulher porque temos consciência da luta das mulheres por participação política, por melhorias e transformação da realidade social, contra a exploração sexual. A essa luta precisa se integrar o direto à saúde integral. É preciso que elas tenham garantias de tratamentos de ações preventivas que as afastem de duas graves moléstias: o câncer de mama e o de colo do útero", enfatizou o governador Marcelo Déda.

O programa, voltado para mulheres com idade entre 25 e 59 anos, tem como pilares o combate ao câncer do colo do útero e de mama, a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST) e a orientação sobre planejamento familiar. "O principal objetivo é melhorar a qualidade de saúde da mulher no estado de Sergipe. Vamos mobilizar os instrumentos da Secretaria de Estado da Saúde e fazer parcerias com prefeituras para levar aos lugares mais remotos assistência e realizar exames preventivos que possibilitem a redução dos índices de câncer em Sergipe", explicou o governador.

Estrutura

O ‘Bem Mulher` ocorrerá simultaneamente em até quatro municípios. Serão montados até 50 consultórios por cidade. Além disso, seis mil profissionais serão mobilizados para atuar nos 75 municípios atendidos. Inicialmente, estão sendo aplicados R$ 2,5 milhões em material de consumo, logística, exames, pagamento de profissionais e medicamentos. O investimento tem metas ambiciosas no período de um ano. Entre elas, a realização de 56 mil exames papanicolau, 11,2 mil exames clínicos de mama e 18 mil tratamentos medicamentosos.

Além das ações levadas no dia do evento, o ‘Bem Mulher` terá o papel de acompanhar os casos de cânceres diagnosticados. "É preciso conscientizar as mulheres da importância de cuidar da saúde. No entanto, a concepção deste programa é atuar tanto preventivamente como no acompanhamento. O Estado só vai finalizar o trabalho depois que a paciente tiver feito o tratamento adequado para cada problema. O ‘Bem Mulher` não é um mutirão contra o câncer, é um programa de Governo que atenderá a todo o estado", afirmou a primeira-dama Eliane Aquino.

Programação

Neste sábado, 7, o programa chega a Ribeirópolis, onde pretende atender cerca de 650 mulheres. Depois, será a vez dos municípios de Propriá, Boquim e Simão Dias nos dias 14, 21 e 28, respectivamente.

Segundo a prefeita de Ribeirópolis, Uíta Barreto, o programa estimula as mulheres a se cuidar. "Estamos felizes em sermos o primeiro município a receber o ‘Bem Mulher`. É muito importante para o interior sergipano poder contar com esse projeto. Muitas vezes as mulheres sabem da importância de se prevenir contra o câncer, mas acabam deixando para depois. O ‘Bem Mulher` serve como estímulo para que elas se cuidem", opinou a prefeita.

As cidades atendidas em março foram escolhidas por já terem sido contempladas pelo ‘Sergipe de Todos`. "Nós tivemos o primeiro teste na cidade de Pirambu e neste sábado teremos o programa em Ribeirópolis, o que representará a consolidação do modo de operação do programa. A partir daí, semanalmente ou, pelo menos, a cada 15 dias, estaremos em um ou mais municípios. Nas cidades menores, nós estaremos em até quatro simultaneamente. A idéia é que dentro do período de um ano nós consigamos cobrir os 75 municípios", frisou o secretário de Estado da Saúde, Rogério Carvalho.

Planejamento

O planejamento familiar será abordado juntamente com o tema das DSTs através de oficinas, como forma de garantir o direito reprodutivo da mulher reconhecido em leis nacionais e documentos internacionais. As ações do programa nessa área também visam facilitar o acesso às laqueaduras tubárias - cirurgias para esterilização permanente e definitiva da mulher. De 2004 a 2006, a média desses procedimentos registrados pelo SUS em Sergipe era de 485 ao ano. Em 2007, esse número aumentou para 1.594 e no ano passado para 2.878. Com o ‘Bem Mulher`, o Estado quer dobrar o número de laqueaduras.

Fonte:ASN