Sergipe

05/03/2009 às 17h05

Rosângela reclama falta de transporte público para atender aos turistas

Para a vreadora Rosângela Santana, Aracaju não dispõe de um sistema de transporte público hábil para atender a demanda turística da capital.

Redação Portal A8

A vereadora Rosângela Santana (PT) reclamou hoje (5) da falta de uma estrutura de transporte público capaz de atender as necessidades dos turistas que, a cada dia, visitam Aracaju. Detentora do título de capital nacional da qualidade de vida, a capital sergipana, no entendimento da parlamentar, ainda não conseguiu ofertar, para aracajuanos e turistas, um sistema de transporte que consiga atender a demanda de passageiros em toda a extensão da cidade e nos horários em que a população necessita.

"Nossa cidade é bem cuidada, tem praias bonitas e povo hospitaleiro. Os ventos terminaram por levar a propaganda de nossa cidade a todo o Brasil. Agora, temos que ofertar condições de mobilidade a essas pessoas que nos visitam",afirmou a vereadora, destacando que em festas populares, como o carnaval, por exemplo, as moradores e turistas que não possuem automóvel acabam sendo obrigadas a utilizarem táxis ou outro meio de transporte para chegar aos pontos turísticos da capital e dos municípios do interior.

 

"Ou pior, muitas deixaram de visitar esses locais. Anos atrás, durante o Carnaval, Aracaju era uma cidade cemitério: todo mundo fugia para Salvador ou Recife. A prefeitura e o governo estadual inovaram investindo no carnaval de rua, como o bloco Rasgadinho, do qual participei pela segunda vez, mas, mesmo assim, ainda não houve investimento no quesito transporte e muitas pessoas reclamaram desse fator, que é essencial para quem precisa circular por uma cidade", detalhou Rosângela.

Ela acredita que os empresários do transporte público ainda não perceberam que Aracaju também recebe muitos turistas de classe média e de classes mais baixas, que, embora não possam gastar grandes somas em dinheiro em seu turismo regional, mas pagam o transporte público à vista. "É necessário que os empresários da área percebem que há uma demanda para esse serviço. Quando a cidade cresce, seu sistema de transporte precisa acompanhar esse crescimento", alertou.