Sergipe

19/02/2009 às 15h56

Iran apela para que Deda pague o piso

O deputado federal Iran Barbosa (PT) apelou ontem ao governador Marcelo Déda (PT) para que reveja os cálculos e pague o piso nacional dos professores, estipulado em R$ 950.

Redação Portal A8

O deputado federal Iran Barbosa (PT) apelou ontem ao governador Marcelo Déda (PT) para que reveja os cálculos e pague o piso nacional dos professores, estipulado em R$ 950. Ele sugeriu que Deda receba, o mais rápido possível, a comissão de negociação que representa os professores da rede estadual de ensino para que possa chegar a um acordo.

"Insisto no diálogo porque acredito que essa é a saída para resolver os problemas surgidos na implantação do piso salarial profissional nacional do magistério público na rede estadual de ensino", disse Iran, ressaltando que no início do mês, em audiência, Deda lhe disse que iria receber a comissão, o que não ocorreu até agora.

Iran lembrou que os baixos salários enfrentados, hoje, pelos educadores são herança de uma defasagem histórica no valor inicial do vencimento da carreira do magistério. "É resultado da falta de ação de governos anteriores, comprometidos com grandes empresários, com latifundiários, que se estenderam por décadas no comando do Estado e nunca tiveram compromisso com a valorização do magistério e da educação pública", afirmou.

Segundo Iran, muitos colaboradores e apoiadores que deram sustentação a essas práticas têm usado da justa luta dos professores pelo piso salarial para fazer embate político. "Esses aproveitadores da classe trabalhadora não têm legitimidade para empunhar a bandeira da valorização do magistério e da educação pública de qualidade, pois foram autores das distorções que hoje dificultam o processo de implantação do piso salarial", disse.

O deputado afirmou, ainda, que vai continuar a marchar junto com os educadores e a defender as bandeiras da valorização do magistério e da educação pública de qualidade. "Em Sergipe, como em vários estados e municípios do país, os professores lutam pela implantação do piso salarial com todos os dispositivos previstos na lei. A categoria está organizada e realiza atos públicos para chamar a atenção dos governos para que dialoguem e apresentem alternativas aos problemas", afirmou.