Sergipe

16/02/2009 às 11h32

Manifestação e apreensão de táxis marcam primeiro dia de fiscalização

Redação Portal A8

 

Taxistas criticam relação da Prefeitura (.)

A segunda-feira amanheceu tumultuada no município da Barra dos Coqueiros. Logo cedo, 78 taxistas que faziam a lotação de passageiros da Barra para Aracaju realizaram manifestos na cidade. O protesto foi contra a decisão da Prefeitura local em deixá-los fora da lista dos 100 taxistas que, a partir de agora, estão liberados para continuar prestando esse serviço à população.

 

Dos 138 carros que faziam o transporte de passageiros entre os dois municípios, 38 foram excluídos e 100 permaneceram, conforme acordo fechado entre a Prefeitura da Barra; a SMTT de Aracaju e o Ministério Público Estadual.

"Fomos injustiçados", assegura o taxista Moisés Gama ao ressaltar que dos 100 taxistas escolhidos pelo prefeito da Barra, Gilson dos Anjos somente 22 já atuavam na área. "Os demais são bandeirinhas que foram beneficiados por questões políticas", disse o membro da comissão que representa a classe.

Na manhã de hoje (16), os manifestantes fizeram um ato na porta da Prefeitura da Barra na esperança de serem atendidos pelo prefeito, o que não ocorreu. Em seguida foram para a porta do Fórum. Eles aguardam a decisão da Justiça sobre a ação de tutela antecipada impetrada pela classe na semana passada. "Queremos o direito de continuar rodando até que saía uma decisão conclusão do caso", afirma Moisés.

O secretário de comunicação da Prefeitura da Barra dos Coqueiros, Diego Gonzaga, assegura que não houve apadrinhamento político na elaboração da lista. "Seguimos rigorosamente todos os critérios que foram expostos a aprovados pelo Ministério Público durante reunião realizada na semana passada.", disse.

O Secretário afirma ainda que o número de táxi permitido para rodar não foi definido pelo prefeito. "A Prefeitura seguiu o que determina a Lei de 30/06 de 2000, no qual estabelece que apenas 100 carros poderiam fazer o serviço de lotação, ficando proibida a concessão de novos pontos durante 10 anos. O problema é que a gestão anterior ignorou a Lei e liberou mais 40 pontos, uma decisão irregular", ressalta Diego.

Apreensão

No primeiro dia de fiscalização para garantir o cumprimento do acordo feito no Ministério Público, a SMTT de Aracaju apreendeu oito veículos. "Sete veículos estavam sendo conduzidos por defensores, quando deveria ser por permissionários. O oitavo carro foi apreendido porque estava rodando sem a plotagem, exigência fundamental para a identificação do serviço", explica Major Paiva, da SMTT, ao ressaltar que a fiscalização será contínua na ponte Construtor João Alves que liga Aracaju ao município da Barra dos Coqueiros.

.