Política

29/08/2019 às 14h25

Rodrigo propõe o fim da cobrança das taxas de religação de água e energia

Rede Alese

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã dessa quinta-feira (29), para anunciar que apresentou um projeto de lei

Foto: Jadilson Simões
suspendendo em Sergipe a cobrança das taxas de religação cobradas pela Energisa e Deso, após os cortes do fornecimento de energia elétrica e água, respectivamente. O parlamentar justifica a medida com a grave crise financeira que assola o Estado.

Ao fazer o anúncio, Rodrigo Valadares registrou que Sergipe tem hoje a quinta taxa de desemprego no País. “Enquanto o mercado de trabalho no Brasil gerou 460 mil novos empregos, aqui no Estado acumulamos um saldo negativo de quase quatro mil. Sem emprego as pessoas ficam impedidas de honrarem seus compromissos”.

Rodrigo ainda acrescentou que a cobrança de religação do fornecimento de água e energia é abusiva. “Muitas pessoas perdem o emprego e, sem condições de pagar, são penalizadas com os cortes do fornecimento de água e energia. A cobrança dessas taxas de religação é algo abusivo! Temos que ser sim solidários com essas pessoas. Essas empresas detém o monopólio desses serviços. Aprovando esse projeto é a garantia de mais dinheiro no bolso das pessoas”.

Militares

Rodrigo também parabenizou o colega deputado Capitão Samuel (PSC) que defendeu que o governo do Estado, através do Comando da Polícia Militar, promova a promoção Post Mortem do policial militar que foi assassinado durante um evento em Areia Branca. E que essa promoção seja estendida ao outro militar que estava compondo a guarnição no momento da ocorrência e que, mesmo baleado, conduziu o suspeito e o colega de farda para o hospital Regional de Itabaiana.

“Quero parabenizar o colega Capitão Samuel por essa justa homenagem aos guerreiros da Polícia Militar, após esse incidente que nos deixou estarrecidos. É mais um policial abatido. É a prova que esse desarmamento no nosso País é um grande engodo. É o cidadão de bem desarmado e os bandidos com fortes armamentos. A quem interessa esse estatuto do desarmamento”, completou o deputado.


Fonte: Rede Alese