Brasil

Ministro diz que Diretas-Já desencadeou o processo da democracia

Nos anos 80, Ayres Britto era procurador-geral do Estado de Alagoas e participou "ativamente" do movimento das Diretas-Já,

30/09/2015 19h02
Ministro diz que Diretas-Já desencadeou o processo da democracia
A8SE

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Carlos Ayres Britto, disse que o movimento pelas Diretas-Já desencadeou um "processo sem volta" no caminho da democracia. Ayres Britto afirmou ainda que a partir deste movimento a trinca de valores democracia, ética e ecologia entrou no rol de valores obrigatórios da sociedade brasileira.
"Estamos fazendo uma viagem democrática sem volta. O movimento das Diretas-Já reuniu pessoas dos mais diversos segmentos. Eram intelectuais, artistas, líderes sindicais e tantos outros, que enfrentaram dificuldades pessoais e profissionais para defender os ideais da democracia", afirmou o ministro. "Foi um marco da restauração da democracia no país."
Nos anos 80, Ayres Britto era procurador-geral do Estado de Alagoas e professor universitário. Segundo ele, participou "ativamente" do movimento das Diretas-Já, mas como intelectual e não na linha de frente. "Sempre atuei mais no campo teórico. Acho que tenho mais vocação para isso", disse ele, com um suave sorriso.
O ministro contou que nas suas aulas, na UFSE (Universidade Federal de Sergipe) discutia a necessidade e o direito de o cidadão escolherem diretamente seus governantes. "Eu costumava exaltar que o regime democrático é o melhor para a sociedade e o Estado", disse.
Eleições
Ayres Britto lembrou que cinco anos depois das manifestações de rua promovidas pelo movimento das Diretas-Já foram realizadas as primeiras eleições diretas no país.
"Com as Diretas-Já vieram logo depois as eleições e a partir daí consolidou-se a trinca democracia, ética e ecologia. Valores que se internalizaram no planeta", afirmou o ministro.
Segundo Ayres Britto, os brasileiros devem ter orgulho do movimento das Direta-Já e das eleições realizadas nos anos 90. "O Brasil já faz parte do rol de países democráticos. Graças a Deus e ao povo brasileiro. Isso virou uma questão de honra para todos nós", disse ele.
O ministro ressaltou também que não há a possibilidade de "retrocesso" na história democrática do país. "Colhemos os frutos das árvores plantadas pelo movimento das Diretas-Já. De lá para cá não houve retrocesso nem ocorrerá", disse.

 

 

Tags: