Mundo

20/03/2009 às 09h36

Netanyahu ganha mais tempo para formar governo em Israel

Prazo dado pelo presidente acaba em 3 de abril; trabalhistas podem integrar coalizão da direita no governo

Redação Portal A8

O primeiro-ministro indicado de Israel, Benjamin Netanyahu, ganhou um prazo extra nesta sexta-feira, 20, para formar um governo, disse um auxiliar, permitindo a continuidade de seus esforços para atrair o partido Trabalhista para a sua coalizão.

O presidente Shimon Peres pediu que o partido direitista de Netanyahu, o Likud, formasse um governo após as eleições de 10 de fevereiro, dando a ele 28 dias de trabalho para cortejar potenciais aliados. A extensão estabelece 3 de abril como nova data limite. Um auxiliar de Netanyahu disse que, apesar de estar se aproximando de alianças com facções à direita que lhe permitiriam controlar 61 dos 120 assentos no parlamento, o líder do Likud pediu a Peres mais tempo "porque ele quer construir uma coalizão tão ampla quanto for possível". Peres atendeu ao pedido em conversas com Netanyahu.

Ehud Barak, líder do partido Trabalhista e atual ministro da Defesa, disse que pediria autorização ao seu partido, de centro-esquerda, para juntar-se ao governo de Netanyahu. Unir-se à coalizão poderia resgatar os trabalhistas do ostracismo político.

O partido, um dia dominante em Israel, terminou as eleições parlamentares em quarto lugar, com apenas 13 cadeiras. O Likud conquistou 27 assentos, e o Kadima, da atual ministra das Relações Exteriores, Tzipi Livni, 28. O Yisrael Beitenu, de extrema direita, ficou com 15 cadeiras. Livni até o momento descarta uma aliança com o Likud.

Barak disse à Rádio Israel na quinta-feira que a proposta de Netanyahu "merece ser considerada". Ele sugeriu que o partido Trabalhista poderia suavizar a linha-dura do líder do Likud e evitar um conflito com os esforços dos EUA de retomar as conversas de paz entre israelenses e palestinos.

Fonte: Reuters