Mundo

16/03/2009 às 10h13

Japão e Coreia do Sul reiteram alerta contra míssil da Coreia do Norte

Redação Portal A8

Japão e Coreia do Sul reiteraram nesta segunda-feira o alerta contra os planos da Coreia do Norte de lançar um satélite entre os dias 4 e 8 de abril deste ano. Os dois governos, que fazem parte das negociações internacionais pela desnuclearização de Pyongyang, afiram que o lançamento é um disfarce para o teste de um míssil de longo alcance.

Reunidos em Tóquio, o ministro de Relações Exteriores japonês, Hirofumi Nakasone, e o delegado para assuntos nucleares sul-coreano, Wi Sung-lac, advertiram que seus países adotarão as medidas apropriadas em resposta ao lançamento, informou a agência local Kyodo.

No meio das especulações sobre o possível lançamento de um míssil de longo alcance, na quinta-feira passada (12), a Coreia do Norte informou oficialmente aos organismos internacionais competentes para a segurança marítima e aérea sobre seus planos de lançamento de um foguete com um satélite de comunicações.

O negociador sul-coreano disse, depois de se reunir em Tóquio com o ministro Nakasone, que seus países debateriam medidas a tomar em resposta ao lançamento de um projétil por parte da Coreia do Norte.

Tanto Japão como Coreia do Sul concordam em que o lançamento violaria a Resolução 1718 do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) e que não haveria diferença se o lançamento é de um satélite de comunicações, como assegura Pyongyang, ou de um simples teste de um míssil de longo alcance, como temem observadores sul-coreanos.

Os negociadores japonês e sul-coreano falaram também sobre a necessidade de retomar em breve as conversas de seis lados, nas quais participam também Rússia, Coreia do Norte, Estados Unidos e China, para negociar a desnuclearização de Pyongyang.

Em 1998, a Coreia do Norte enfrentou condenação internacional ao não informar as organizações internacionais de um míssil que lançou sobre o território japonês em direção ao Oceano Pacífico. O governo alegou, na época, que o lançamento era de um satélite, na órbita terrestre.

O primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, disse na sexta-feira passada (13) que não permitirá que um satélite norte-coreano atravesse o território japonês e advertiu que não ficará de braços cruzados perante o lançamento previsto pelo país, informou a agência Kyodo.

Fonte: Efe