Mundo

13/03/2009 às 10h29

Ahmadinejad diz que sanções contra o Irã são `ideia infantil`

Obama estende por 1 ano sanções contra o regime iraniano; EUA dizem diz que Teerã representa `ameaça`

Redação Portal A8

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, classificou as sanções internacionais contra seu país como uma "ideia infantil" nesta sexta-feira, 13, ao lançar oficialmente um projeto de gás natural no Golfo Pérsico, informou a mídia local. Os comentários ocorreram um dia depois de o presidente dos EUA, Barack Obama, ter anunciado a prorrogação das sanções contra Teerã pelo fato de o país continuar representando uma "ameaça extraordinária" à segurança nacional, à política externa e à economia dos Estados Unidos.

Obama declarou como rotina a renovação das sanções econômicas, que foram impostas pelo ex-presidente Bill Clinton em março de 1995. Mas, em uma mudança de política com relação ao governo de George W. Bush, Obama disse que estará aberto a discutir com o Irã sobre várias questões, de suas ambições nucleares a como o país pode ajudar no Afeganistão, onde as tropas da Otan lutam contra uma crescente insurgência.

Ahymadinejad afirmou que o ato de criar obstáculos ao desenvolvimento do Irã com sanções representa "uma ideia infantil e um grande erro", segundo a agência de notícias oficial Irna. As sanções, que proíbem empresas americanas de fazerem comércio ou investirem no Irã, têm sido renovadas anualmente desde que foram determinadas, em 1995. Segundo a BBC, sem um pedido formal de Obama por sua renovação, as sanções contra o Irã perderiam sua validade.

O governo Obama pretende convidar Teerã para uma conferência sobre o Afeganistão, que faz fronteira com o Irã, planejada para este mês. O vice-presidente do Irã, Esfandiar Rahim Mashaie, disse ontem que seu governo recebeu com satisfação a ideia de um diálogo multilateral com os EUA e seus aliados sobre o Afeganistão. Mas acrescentou que Teerã ainda tem de receber um convite oficial dos EUA ou da secretária americana de Estado, Hillary Clinton.

Apesar da tentativa de aproximação, os EUA ainda buscam conter o programa nuclear iraniano. Washington teme que o Irã esteja tentando obter armas atômicas, mas Teerã insiste que seu programa nuclear tem fins pacíficos e busca apenas suprir as necessidades de energia.

Os EUA cortaram relações diplomáticas com o Irã após a crise dos reféns, entre 1979-81, quando um grupo de militantes iranianos manteve 52 diplomatas na embaixada americana por 444 dias. Obama diz que os EUA estão preparados para estender a mão ao Irã se o país "abrir o punho". O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, disse que está aberto a conversações com Washington, mas exigiu uma mudança da política dos EUA para o Oriente Médio.

Fonte: Estadão