Mundo

19/02/2009 às 09h41

Equador expulsa outro diplomata americano por intromissão

Chanceler acusa representante de Washington de intervir em assuntos da polícia; é a segunda expulsão no mês

Redação Portal A8

O Equador expulsou outro funcionário da embaixada americana no país nesta quarta-feira, 18, acusando-o de intervir em assuntos internos da polícia. O ministro das Relações Exteriores, Fander Falconi, anunciou à imprensa a decisão de expulsar Mark Sullivan, primeiro secretário da representação americana, depois de uma reunião do Conselho de Segurança Nacional. Na semana passada, Quito havia expulsado um oficial da diplomacia americana no país pelas mesma razão.

A intromissão teria acontecido mediante "questionamentos, condicionamentos que foram feitos à polícia nacional", afirmou Falconi. Ele anunciou que o diplomata tem 48 horas para deixar o Equador. "Esse condicionamento viola as competências e atribuições de autoridades nacionais que podem tomar suas decisões quanto a quem deve dirigir uma unidade de investigações especiais, que é competência do comandante geral", acrescentou.

"Achamos que esta decisão é um sinal muito forte de para onde se dirige o governo, que quer que todos os elementos de cooperação internacional sejam transparentes, públicos e através de acordos
formalizados", concluiu o ministro. A representante de Imprensa da embaixada americana, Martha Youth, disse que a decisão do governo equatoriano "será comunicada" a Washington, mas se recusou a fazer mais comentários.

No último dia 7, o presidente do Equador, Rafael Correa, também havia dado um prazo de 48 horas para que Armando Astorga, funcionário da embaixada dos EUA, deixasse o país, após qualificar de "insolente" uma carta que o americano enviou ao Comando Geral da polícia local. "Não vamos aceitar que ninguém nos trate como colônia", disse o presidente na ocasião.

Fonte: Estadão