Esportes

28/04/2014 às 12h08

Maguila é internado com quadro de desidratação

De acordo com a esposa do ex-atleta, Irani Pinheiro, o momento é delicado. Ela usou seu Facebook para pedir orações em favor do sergipano de 55 anos, que foi diagnosticado com mal de Alzheimer em 2010

Redação Portal A8

O ex-pugilista Adilson Rodrigues, o Maguila, segue internado em São Paulo. Ele deu entrada na Santa Casa de Misericórdia, na capital paulista, na sexta-feira (25), com um quadro de desidratação. De acordo com a esposa do ex-atleta, Irani Pinheiro, o momento é delicado. Ela usou seu Facebook para pedir orações em favor do sergipano de 55 anos, que foi diagnosticado com mal de Alzheimer em 2010.


"Olá, amigos do Face... Precisamos de oração para o Maguila, está internado, recebendo alimentação por sonda, estado muito delicado. Por favor, quem sempre torceu agora ore", afirmou a advogada, parceira de longa data do ex-pugilista, desde seus tempos de ringue.


Maguila fez sua última aparição pública em Campinas, no enterro do narrador Luciano do Valle, em 20 de abril. O ex-lutador já vinha apresentando uma forma física bem mais magra do que se via nos anos anteriores ao seu diagnóstico, quando tentou uma carreira como cantor, em 2009, e se candidatou a deputado federal, em 2010.


Segundo o site da TV Bandeirantes, a internação se deu às 21h de sexta-feira. Maguila deu entrada na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com um quadro de desidratação.


As primeiras notícias davam conta de que ele foi internado apenas para hidratação, já que, de acordo com a família de Maguila, o quadro de mal de Alzheimer dificulta que o ex-lutador se alimente. O problema de saúde seria por conta de demência pugilística, após sofrer muitos traumas na cabeça durante sua trajetória no boxe.


Maguila foi o peso pesado de maior expressão no boxe brasileiro, com uma carreira que se estendeu de 1983 a 2000, com 85 lutas. O sergipano somou 77 vitórias, com 61 nocautes, perdeu sete combate e empatou um.


Entre suas lutas mais importantes, perdeu para Evander Holyfield e George Foreman, em uma época em que negociava uma luta com Mike Tyson – o que nunca saiu. Ele foi campeão brasileiro e sul-americano e deteve o cinturão mundial da Federação Mundial de Boxe, entidade que não está entre as quatro grandes da nobre arte.