Esportes

07/10/2009 às 17h00

Sindicato dos Jogadores não quer maconha como doping

Legislação da Agência Mundial Antidoping (Wada), considera maconha doping. Sindicato pede mudanças

Redação Portal A8

O Sindicato Mundial de Jogadores Profissionais de Futebol (Fifpro) criticou a legislação da Agência Mundial Antidoping (Wada), que considera maconha doping. A declaração, publicada no site oficial da entidade, foi originada pelo caso do jogador uzbeque Anzur Ismailov, suspenso por uso de maconha em junho deste ano.

"Pedimos ao comitê que elabora a lista (de substâncias proibidas) que reconheça que a canabis (nome científico da maconha) é prejudicial para o rendimento esportivo e não merece estar na lista de substâncias dopantes", diz o comunicado.

No dia 2 de outubro, a Fifa suspendeu por três meses Ismailov. Ele foi flagrado com maconha no dia 17 de junho, em uma partida das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010.

A Wada publicou no dia 1º de outubro a lista de substâncias proibidas para 2010, que entra em vigor no dia 1º de janeiro. O FifPro afirma que a maconha não deveria estar presente na lista porque "estudos científicos demonstraram que o uso de canabis é prejudicial para quase todos os rendimentos atléticos".

Com informações do UOL (Agências internacionais)