Brasil

04/09/2010 às 10h02

Fiocruz constata pacientes duplamente infectados por dois tipos de vírus HIV

Redação Portal A8

Uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) constatou casos de infecção por dois tipos do vírus HIV em um mesmo paciente, no Brasil. Os pesquisadores encontraram a presença do vírus HIV-2 em 15 pessoas, de estados diferentes, já infectadas pelo vírus HIV-1, responsável pela maioria dos casos de aids no Brasil e no mundo.

Os vírus apresentam características biológicas diferentes e exigem tratamentos específicos. O HIV-2 provoca evolução mais lenta da doença e é resistente a alguns antirretrovirais. O HIV-1 é mais comum na transmissão vertical (de mãe para filho) e na sexual.

De acordo com o trabalho da Fiocruz, os testes atuais disponíveis no país não dispõem de reagentes para identificar a presença do vírus tipo 2, somente o do tipo 1. Mas, de acordo com o Ministério da Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS) e laboratórios particulares têm condições de identificar os dois tipos de HIV.

Dos 19 remédios que integram o coquetel antiaids, o HIV-2 apresenta resistência a apenas a um. Para o ministério, o resultado da pesquisa não deve ser visto com alarde, pois não representa a maioria dos brasileiros. A recomendação do governo federal é o uso frequente da camisinha para evitar a infecção por um dos vírus (tipo 1 ou 2) e também a coinfecção (os dois tipos ao mesmo tempo).

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2008, 34 milhões de pessoas no mundo tinham o HIV-1, contra 2 milhões infectados pelo HIV-2.

Identificado pela primeira vez em 1985, em pacientes do Senegal, o HIV-2 predomina nos países da África Ocidental, como Guiné Bissau, Gâmbia e Costa do Marfim. Há registros também em Portugal, na França e na Espanha.


Fonte: Agência Brasil