Brasil

13/08/2010 às 11h58

Testagem de HIV para admissão em trabalho fere Direitos Humanos

Em relação a exigência de exames de HIV para admissão na Escola de Sargentos do Exército

Redação Portal A8

Em relação a exigência de exames de HIV para admissão na Escola de Sargentos do Exército, o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde informa que a prática fere a Declaração Universal dos Direitos Humanos, cujo artigo artigo XXIII cita que "toda pessoa tem direito ao trabalho".

O Departamento informa ainda que a exigência é uma prática que precisa ser revista, pois não reflete a realidade de pessoas que vivem com HIV. O fato de ter o HIV, não necessariamente significa que a pessoa esteja inapta para o trabalho. Pelo contrário, o trabalho pode trazer mais qualidade de vida ao paciente com HIV e Aids.

Os pacientes com aids, que tomam o coquetel aumentam a cada dia sua expectativa de vida, têm mais qualidade de vida e vivem o cotidiano como qualquer outra pessoa. Estudo encomendado pelo Departamento que acompanhou cerca de 2 mil adultos diagnosticados entre 1998 e 1999, mostrou que a sobrevida das pessoas que vivem com aids nas regiões Sul e Sudeste dobrou entre 1995 e 2007.

Desde 1997, o Departamento, no manual "Aconselhamento em DST, HIV e Aids - Diretrizes e Procedimentos Básicos", assegura que a testagem deve ser sempre voluntária, confidencial e sigilosa. O Ministério da Saúde incentiva a testagem para diagnóstico precoce da infecção, desde que seja um ato voluntário.

Fonte:Ministério da Saúde