Brasil

09/08/2010 às 12h07

Vendas brasileiras ao exterior superam as compras em R$ 1,66 bi em agosto

Redação Portal A8

O Brasil vendeu mais produtos ao exterior do que comprou em agosto. Ou seja, na primeira semana do mês, as exportações superaram as importações em R$ 1,66 bilhão (US$ 943 milhões). Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (9) pelo MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

Com o resultado, de janeiro até agora o saldo da balança comercial brasileira (diferença entre tudo o que o país vendeu ao exterior e tudo que comprou de outros países) ficou em R$ 17,89 bilhões (USS$ 10,18 bilhões), queda de 42,7 % em relação ao mesmo período do ano passado, que registrou resultado positivo de R$ 31,19 bilhões (US$ 17,75 bilhões).

Na primeira semana de agosto, as exportações somaram R$ 7,77 bilhões (US$ 4,42 bilhões) e as importações (compra de produtos estrangeiros) R$ 6,12 bilhões (US$ 3,48 bilhões).

O que é a balança comercial

Quando o Brasil vende mais do que compra do exterior, dizemos que a balança comercial do país teve saldo positivo. E, quando as compras de produtos estrangeiros são maiores do que as nossas vendas para outros países, esse saldo da balança fica negativo.

Primeiro semestre ruim

No primeiro semestre deste ano (até junho), as exportações brasileiras superaram as importações em R$ 13,85 bilhões (US$ 7,88 bilhões), no pior resultado para os seis primeiros meses do ano desde 2002.

O aquecimento da economia brasileira é o principal responsável pelo aumento das importações. Com a demanda de consumo das famílias brasileiras em alta, a indústria do país importa mais insumos e máquinas que são usados no processo produtivo.

Por outro lado, as exportações brasileiras ainda não retornaram aos patamares pré-crise, o que resultaria em um saldo positivo maior da balança.

No primeiro semestre do ano, a corrente de comércio (soma das exportações com as importações) totalizou R$ 299,64 bilhões (US$ 170,49 bilhões), valor 34% maior do que no mesmo período do ano passado. Mas o resultado não foi suficiente para aumentar o saldo, uma vez que as importações cresceram em 2010.

A crise financeira mundial praticamente ‘paralisou` o comércio internacional de produtos, principalmente para os países afetados pela crise, Estados Unidos e países da Europa, que ‘apertaram o cinto` nas compras de outros países.

Fonte:R7